Artigos, Conteúdos em Destaque

[8 dicas] Como ser mais criativo? Jobs, Bezos e a ciência explicam


[8 dicas] Como ser mais criativo? Jobs, Bezos e a ciência explicam

Como ser mais criativo? Ao contrário da crença popular, em que aprendemos que a criatividade é um dom inato, ela pode ser aprendida como qualquer outra habilidade. No mundo dos negócios, por exemplo, ela tem a ver com a resolução de problemas e pensamento fora da caixa.

De fato, qualquer CEO e founder pode se beneficiar da implementação e incentivo do pensamento criativo, desafiando soluções, processos, modelos de negócios e formas de trabalho existentes.

O conceito de criatividade no campo empresarial é uma marca registrada da inovação bem-sucedida em muitas companhias ao redor do mundo. Foi assim que a Uber aplicou uma nova solução – crowdsourcing – a uma necessidade já existente no transporte de clientes e a Apple soube criar com sucesso um ecossistema inteiro em torno de si.

Desta feita, em meio à imensa transformação tecnológica que vem sendo experenciada nos últimos anos, uma nova abordagem disruptiva às lideranças tem se colocado mais importante do que nunca. 

Afinal, o foco no pensamento criativo pode abrir caminho para o desenvolvimento de novos produtos/soluções, bem como tornar o mundo um lugar mais valoroso.

“Criatividade é apenas sobre conectar as coisas. Quando você pergunta a pessoas criativas como elas fizeram algo, elas se sentem um pouco culpadas porque não fizeram realmente, elas apenas viram algo. Pareceu óbvio para eles depois de um tempo”.

Steve Jobs, co-fundador e ex-CEO da Apple

Além disso, a criatividade pode ser o fator determinante para saber se um negócio está adequadamente posicionado para prosperar ou condenado ao fracasso.

Em um estudo realizado pela IBM, os CEOs entrevistados consideraram a criatividade como a qualidade de liderança mais importante para o sucesso empresarial, superando até mesmo a integridade e o pensamento global.

Gráfico com as principais qualidades de liderança segundo pesquisa realizada pela IBM.
(Na imagem: principais qualidades de liderança)
(Créditos: IBM)

Quando pessoas criativas são encarregadas de um negócio, elas buscam maneiras de produzir produtos e serviços que diferenciam sua empresa da concorrência. Segundo relatório da consultoria cultural Barker Langham e Culture Mile, a criatividade:

  • é a chave para os mais diversos tipos de inovação;
  • permite que você veja as necessidades do seu cliente de diferentes ângulos;
  • ajuda a reforçar a marca;
  • contribui para atrair e reter os melhores talentos;
  • aumenta a produtividade e o desempenho dos colaboradores;
  • melhora a função cognitiva e a vida social;
  • alivia o estresse e a ansiedade;
  • dentre outros.

O estudo destaca, ainda, três maneiras principais pelas quais a colaboração pode estimular a criatividade: através do envolvimento cultural (seminários sobre artes e cultura ou ingressos para shows), intervenções criativas (como quando as empresas oferecem arteterapia ou contratam artistas como consultores) e por meio de colaboração intersetorial (como a criação de novos produtos ou ideias por meio do compartilhamento de habilidades entre diferentes áreas).

Tabela mostrando 3 modelos de colaboração capazes de incentivar a criatividade.
(Na imagem: 3 modelos de colaboração para incentivar a criatividade)
(Créditos: Barker Langham e Culture Mile)

Além disso, a criatividade foi considerada uma das 15 habilidades do futuro pelo Fórum Econômico Mundial. De acordo com uma pesquisa da McKinsey, companhias mais criativas apresentam um crescimento 67% maior em comparação com as demais e, para os acionistas, retornos 70% acima da média.

Dito isso, seguir as 8 dicas a seguir pode contribuir sendo um divisor de águas na sua capacidade de dominar a inovação, encontrando soluções e abrindo o caminho de negócios únicos para as gerações futuras.

“A criatividade requer pensamento não linear, enquanto muita estrutura restringe a imaginação. Nosso ambiente permite isso, portanto, ao reduzir as restrições de locais de trabalho rígidos, horas e hierarquias, possibilitamos a criatividade. Da mesma forma, se reduzirmos nossa necessidade de ser avesso ao risco, isso permite que a imaginação e a inovação fluam”

Alina Gozin’a – fotógrafa, diretora e artista premiada e indicada a Cannes

Como ser mais criativo no trabalho e na vida?

Apesar de algumas pessoas se inclinarem naturalmente para o pensamento criativo, a criatividade é uma habilidade e um músculo que pode ser treinado, nutrido e aprimorado.

Pessoas criativas são um grande trunfo na força de trabalho. Elas tendem a ser mais abertas para testar coisas novas e encontrar maneiras diferentes e inovadoras de resolver problemas. O que você tem feito para nutrir sua criatividade atualmente? Abaixo, destacamos alguns hábitos capazes de fazer as ideias fluírem em sua rotina:

  1. Experimente diversificar os seus interesses;
  2. medite para aprender a autoconsciência;
  3. mantenha-se ativo;
  4. respeite o seu sono;
  5. seja um lifelong learner;
  6. não ignore as suas paixões;
  7. não limite o seu mindset;
  8. estude os seus fracassos.

Todos nós precisamos melhorar determinados aspectos do nosso dia a dia para evitar cair na rotina e no senso comum, nutrindo uma atitude profissional em que a única motivação é receber o pagamento no final do mês. Quem sabe esse não pode ser o seu propósito para o próximo ano: substituir o tédio e a indiferença pela criatividade?

💡#1 – Experimente diversificar os seus interesses

Uma das maneiras mais poderosas de melhorar a sua criatividade é aumentar o nível de diversidade aplicada na tomada de decisão. 

Um estudo preliminar divulgado pela HBR (Harvard Business Review) mostra que conhecimento diversificado tende a conferir uma vantagem competitiva quando se trata de gerar uma gama mais ampla de ideias originais e úteis.

Variedade é a chave. Pessoas altamente criativas tendem a ter gostos mais amplos e ecléticos. Então, leia livros, assista filmes e ouça músicas fora dos estilos que você normalmente escolheria. Torne esse processo mais divertido e colaborativo trocando recomendações com outros amigos e colegas. 

“A diversidade é a mãe da criatividade”.

Jeffrey Baumgartner, o autor do livro “The Way of the Innovation Master”

💡#2 – Medite para aprender a autoconsciência

A meditação é uma das principais técnicas mindfulness para desenvolver a autoconsciência. Isso porque ela possui um efeito calmante capaz de diminuir (e pausar) a intensidade dos seus pensamentos, aumentando a criatividade, o sono e foco.

O mais interessante é que existem métodos que podem ser escolhidos de acordo com a sua necessidade e nível de prática: alguns podem durar menos de um minuto, enquanto outros duram mais de uma hora.

Steve Jobs, por exemplo, depois de abandonar o Reed College, passou alguns meses na Índia, onde descobriu e abraçou as práticas de meditação zen-budista. 

“Se você apenas sentar e observar, verá como sua mente está inquieta. espaço para ouvir coisas mais sutis – é quando sua intuição começa a florescer e você começa a ver as coisas com mais clareza e a estar mais no presente”.

Steve Jobs, co-fundador e ex-CEO da Apple

Uma pesquisa realizada por Lorenza Colzato, psicóloga cognitiva da Leiden University, mostrou que a meditação é eficaz para estimular o pensamento divergente e aumentar a flexibilidade cognitiva.

Ou seja, para ser criativo, você precisa ter, ou ser treinado a ter, a capacidade de observar, notar e atender a fenômenos e digressões que passam pela sua mente. Por isso, ela é utilizada, inclusive, por militares das Forças Armadas para reconhecerem a si mesmos, aos outros e suas feridas internas.

💡#3 – Mantenha-se ativo

O movimento físico é um ótimo aliado para ativar a criatividade e dar ao seu cérebro uma pausa quando necessário para voltar à tarefa revigorado.

Um levantamento divulgado pela revista Frontiers in Human Neuroscience mostrou que praticantes regulares de exercícios se saem melhor em testes de criatividade do que seus colegas mais sedentários.

Além da criatividade, o exercício promove a função cerebral adequada, preparando e incentivando as células nervosas a se ligarem umas às outras – que é a base para aprender novas informações.

Vale lembrar, inclusive, que Jobs era famoso por fazer caminhadas de brainstorming para desbloquear insights criativos. Um estudo realizado pela Universidade de Stanford confirmou essa tendência, concluindo que somos 60% mais criativos quando caminhamos

Luccas Riedo, CEO do G4 Educação, também é um ávido defensor da prática de atividades físicas para aumentar a produtividade pessoal e alcançar o máximo desempenho de corpo e mente, razão pela qual se esforça para implementar rotinas saudáveis em seu dia a dia:

Agenda do CEO do G4 Educação: Luccas Riedo.
(Na imagem: overview da agenda de Luccas Riedo)
(Créditos: G4 Educação)

Priorize a sua saúde e, se possível, contrate um coaching ou personal trainer. Apesar de parecer caro e/ou difícil, é o que te levará para os próximos níveis de treino, garantindo que você não desanime e tenha comprometimento.

“Sua empresa não precisa ser, necessariamente, escalável. Mas você como gestor deve ser impreterivelmente escalável”.

Luccas Riedo, CEO do G4 Educação

💡#4 – Respeite o seu sono

A criatividade requer um corpo saudável e uma mente criativa. Ficar acordado até tarde para trabalhar um pouco mais pode até parecer uma ótima ideia, mas 17 a 19 horas de privação de sono fazem com que os indivíduos ajam como se o cérebro estivesse sob a influência de 0,5% de álcool, sendo 50% mais lento no desempenho geral, de acordo com artigo da National Library of Medicine.

Dito isso, a falta de sono tem sido associada à má função cognitiva, incluindo falta de foco, concentração, baixa criatividade, comportamento errático, incapacidade de multitarefa e aumento de erros.

Além disso, um estudo publicado no Annals of Neurology descobriu que reduzir o sono pode levar a tomar decisões mais arriscadas e de menor qualidade.

Não é a toa, que o fundador da Amazon, Jeff Bezos, esforçava-se para sempre dormir 8 horas por dia. Segundo ele:

“(…) não precisamos maximizar o número de decisões que tomamos por dia. Tomar bem um pequeno número de decisões-chave é mais importante do que tomar um grande número de decisões. Se você diminuir seu sono, poderá obter algumas horas “produtivas” extras, mas essa produtividade pode ser uma ilusão. Quando você está falando sobre decisões e interações, a qualidade geralmente é mais importante do que a quantidade”.

💡#5 – Seja um lifelong learner

Há uma necessidade maior de pensamento criativo hoje do que nunca e as novas tecnologias estão oferecendo maneiras inéditas de gerar valor para as comunidades em que estamos inseridos. Por isso, é importante estar sempre evoluindo e se adaptando à essa nova realidade.

Grandes líderes nunca param de aprender e sempre procuram encontrar a melhor versão de si mesmos. Satya Nadella, CEO da Microsoft, acredita que ser um lifelong learner incentiva a colaboração e a inovação entre as equipes. Para ele, existem dois tipos de indivíduos e:

“O que aprende tudo faz melhor do que o que sabe tudo”

Satya Nadella, CEO da Microsoft

Além dele, Bezos acredita no aprendizado contínuo como catalisador do sucesso e eles não são os únicos. Warren Buffett estima passar 80% do seu dia de trabalho lendo e pensando.

“Leia 500 páginas como esta toda semana. É assim que o conhecimento se acumula, como juros compostos”.

Warren Buffett, um dos maiores investidores de todos os tempos e o principal acionista da Berkshire Hathaway

De igual modo, estudos comprovam que a habilidade de estar sempre aprendendo evita o declínio cognitivo e fornece plasticidade cerebral para um envelhecimento saudável.

💡#6 – Não ignore as suas paixões

Bill Gates, Walt Disney, Mark Zuckerberg, Elon Musk, Richard Branson, Warren Buffet, Jeff Bezos… esses são apenas alguns dos inúmeros exemplos de empreendedores que criaram um império e deixaram um legado para a humanidade seguindo suas paixões.

Em 1997, quando Steve Jobs retornou à Apple, reuniu toda a sua equipe para explicar o papel da paixão para revitalização da sua marca. Quase uma década depois, em 2005, quando proferiu o seu famoso discurso de formatura na Universidade de Stanford, disse:

“Você precisa encontrar o que ama (…). A única maneira de fazer um grande trabalho é amar o que você faz. Se você ainda não o encontrou, continue procurando. Não se acomode. Como com todos os assuntos do coração, você saberá quando o encontrar.”

Steve Jobs, co-fundador e ex-CEO da Apple

Uma pesquisa da Deloitte ressaltou, inclusive, que a paixão do trabalhador é a chave para a verdadeira recuperação econômica.

Portanto, é possível dizer que a paixão pelo trabalho é tão importante quanto a paixão em um relacionamento. Se o entusiasmo e o amor estiverem presentes naquilo que se faz, as pessoas tendem a ser mais resilientes ao encontrarem obstáculos e mais otimistas na sua resolução, gerando maior rentabilidade a longo prazo para suas vidas.

💡#7 – Não limite o seu mindset

Limitar a sua mentalidade e o seu potencial pode fazer você e seus colaboradores retrocederem em seus resultados, porque inibe a capacidade humana natural de encontrar padrões interessantes e experimentar a imaginação em toda a sua capacidade.

Tallis Gomes, co-founder e chairman do G4 Educação, é um exemplo de mentalidade ilimitada. Ao sentir a frustração de não conseguir um táxi durante uma chuva torrencial, em pleno Rio de Janeiro, teve o insight de criar um aplicativo de solicitação de táxis através de dispositivos móveis.

Mesmo não tendo experiência no setor de mobilidade urbana, abraçou o desafio e revolucionou o mercado, chegando a 35 países em 4 continentes, com mais de 500 mil motoristas e 20 milhões de usuários, sendo avaliada em R$ 1 bilhão de reais.

Tallis Gomes de camisa vermelha e calça jeans em uma apresentação da Easy Taxi.
(Na imagem: Tallis Gomes)
(Créditos: Easy Taxi / G4 Educação)

💡#8 – Estude os seus fracassos

Acredite, a forma como aceitamos o fracasso geralmente determina nossa produção criativa. Afinal, se tudo que você tenta, funciona, então você não está sendo ousado e nem desafiando o status quo o suficiente.

A inovação envolve tentar algumas coisas que não funcionam. Por isso, trate cada falha como uma oportunidade de aprendizado, tal qual o lema de Michael Jordan, empresário e considerado o maior jogador de basquete de todos os tempos:

“Para aprender a ter sucesso, é preciso primeiro aprender a fracassar”.

Companhias como Google, Apple e Pixar desenvolveram culturas ambidestras que, de diferentes maneiras, criaram as condições para empoderar o fracasso. Elas se tornaram ecossistemas vivos da imaginação, estimuladas pela coragem de testar ideias, ver suas falhas e desencadear novas invenções.

Assim, não apenas abrace o fracasso, mas estude-os. Revise com frequência o que funcionou e o que não funcionou em seus processos e projetos. Se usadas corretamente, as falhas podem ser uma enorme fonte de inspiração e criatividade.

A criatividade também pode ser fruto de um processo

Segundo um estudo liderado por Richard Buckminster Fuller, todos nós nascemos com a capacidade de criatividade em nível de gênio. No entanto, essa habilidade tende a desacelerar à medida que envelhecemos.

As crianças, por exemplo, em toda a sua curiosidade natural, fazem cerca de 125 perguntas por dia. O adulto médio, por outro lado, só faz cerca de seis perguntas por dia.

Infográfico mostrando o declínio da criatividade de crianças a adultos.
(Na imagem: criatividade em crianças e adultos)
(Créditos: Medium.com)

Como estamos ocupados gerenciando as tarefas do cotidiano, nosso cérebro acaba, por vezes, sem espaço necessário para criar, razão pela qual a criatividade é um processo que exige prática e persistência.

Há tantas maneiras de promover o pensamento criativo, especialmente no ambiente de trabalho. Pensando nisso, experimentar as maneiras sugeridas acima permite que uma cultura inventiva e fértil floresça em sua companhia.

Sendo assim, se você deseja otimizar sua criatividade e produtividade como líder ou CEO, além de descobrir novos caminhos para aprimorar processos, gestão de negócios, liderança e vendas, implementando uma cultura organizacional como a do Google, participe do G4 Traction e dê tração para o seu negócio.

Glossário do Empreendedor

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W Y X Z
Banner G4 for Business 01