Anúncios criativos: como atingir o público-alvo de um negócio?
Portal G4
>
Todas as Matérias
>
Anúncios criativos: como atingir o público-alvo de um negócio?

Anúncios criativos: como atingir o público-alvo de um negócio?

Por:
Dener Lippert
Publicado em:
21/8/2023

Quando se trabalha com marketing digital, é comum existirem dúvidas. E para piorar, esse meio é famoso por ter falsas promessas milagrosas. Sendo assim, uma das principais dúvidas de muitos produtores de conteúdo é como escolher o criativo certo para o público certo

Não existe bala de prata dentro do marketing. Essa é a verdade nua e crua. 

Mas isso não é motivo de desespero, desde que você esteja disposto a estudar e planejar seus conteúdos de maneira estratégica. Não existe ansiedade que sobreviva a um planejamento bem feito. 

É preciso definir prioridades e saber por onde começar. Então, vamos pelo começo: a definição do público-alvo.

O checklist ideal para definir seu criativo

Toda campanha de marketing é feita para alguém. É preciso definir para quem a sua campanha é direcionada para entender onde esse material irá rodar. 

Uma vez que isso está definido, chegou a hora de entender qual gancho utilizar. E aqui é preciso ter bastante atenção, porque é aqui que a magia acontece. Um criativo é, na maioria das vezes, a melhor forma de atingir um potencial cliente. E você quer deixar a melhor impressão possível – porque a primeira é a que fica. 

Para isso, criamos um checklist que você pode seguir para criar criativos que realmente convertem. Vamos conferir cada passo: 

1. Identifique seus públicos

Você deve começar pesquisando quem são seus públicos alvos. E como chegar até eles. Aqui você está buscando um perfil baseado em quem estaria interessado no que você tem a oferecer. Em outras palavras, é quem vai ser atingido pelos seus criativos. 

O público-alvo dos seus ads vai variar de criativo para criativo. Para decidir qual será esse público, você precisa pesquisar e mapear quais são os principais problemas que o seu serviço ou produto irão resolver para essa pessoa. 

Alguns públicos comuns das campanhas que criamos são CEOs, CMOs e empreendedores. A partir disso, você pode começar a identificar quais ganchos utilizar. 

2. Escolha seus ganchos

O gancho é como você irá seduzir seu potencial cliente. É o porquê alguém irá escolher o seu produto. Se não houver um bom gancho, a conversão será muito mais difícil

Alguns exemplos de bons gatilhos são: 

Ter: “Seu negócio terá…”

Sentir: “Você não se sentirá mais…”

Mudança/Hábito: “Você vai vender todos os dias…”

Status: “Seja líder de mercado / com esse plano, seu negócio vai para outro nível” 

Resultado: Quem seguiu esse plano triplicou o seu capital 

Automação: Sua empresa funcionando sem você 

É aqui que o método da grade de criativos se diferencia. Cada campanha vai precisar de no mínimo 4 ganchos para 4 públicos-alvos. E cada público-alvo deve se relacionar com cada gancho pelo menos uma vez.

Além de definir o público e os ganhos, é preciso entender os seus interesses e como atingi-los através da sua copy. 

3. Escreva a sua copy

A partir daqui, você precisa ter bem estabelecido qual gancho combina com qual público. E depois disso, é hora de escrever. 

Nesse momento, é importante escrever copys diferentes, que relacionam tanto o gancho quanto o público. Isso vai fazer com que o seu criativo seja mais específico e tenha um poder de conversão maior, ao invés de um criativo bonitinho e generalista que passa longe do público-alvo. 

Não esqueça que um criativo precisa mostrar como um problema será resolvido. O gancho é o como seu serviço ou produto irá resolver o problema. Muitas vezes, porém, você precisa expor o problema, que nem sempre é óbvio. 

Além disso, lembre-se de dizer o que o seu público deve fazer. Para isso, utilize um CTA (call to action ou chamada para ação) que seja fácil de realizar. Você é o especialista, então precisa dar as cartas, mesmo que de maneira sutil, dependendo do objetivo da campanha. 

4. Pesquise sobre seu público-alvo

Não existe campanha de marketing perfeita. O que existe é campanha feita para o público certo, funcionando dentro da plataforma certa. Se você colocar uma campanha incrível na frente do público errado, ela será um fracasso. 

Dessa forma, é essencial fazer uma pesquisa sobre cada público. Sabendo quem são essas pessoas, do que gostam, quem as inspira e, principalmente, em qual plataforma de tráfego elas estão. Isso permitirá que você crie os criativos ideais para quem você busca atingir e ainda garantirá que esse criativo seja veiculado na plataforma certa.

Novamente, criativos segmentados têm muito mais chance de sucesso do que coisas genéricas que atiram para todos os lados e acabam errando todos os alvos. Nesse momento é importante ser um sniper (um atirador de elite) e não um emocionado com uma escopeta. 

5. Audite seus resultados

Uma vez que todos os passos anteriores foram seguidos, chegou a hora de colocar as campanhas para rodar. Nos primeiros 7 dias, a sua campanha estará no período de aprendizado

Aqui, suas campanhas estão esperando as suas primeiras 50 conversões. Elas serão o termômetro da efetividade da campanha, para saber se o público selecionado (as personas) são as corretas. 

Após essas 50 conversões depois de 7 dias, você deve começar a analisar seus resultados. E aqui é essencial manter um histórico dos resultados, para que você tenha sucesso na próxima fase. 

6. Chegou a hora de escalar

Se você fez tudo certo e a sua campanha está convertendo, você tem duas opções. Na primeira, você coloca mais dinheiro onde está vendo resultados e segue a filosofia de não mexer em time que está ganhando. Mas isso irá acabar elevando o custo da campanha com o passar do tempo. 

A outra opção, em poucas palavras, é ter coragem. Veja as campanhas que mais fizeram sucesso, analise os públicos, ganchos e copys vencedores e replique essa fórmula em novos criativos. Se você tem todos os dados devidamente computados, você sabe quais são os criativos vencedores. Logo, você tem a fórmula vencedora, basta ter coragem para replicá-la. 

O marketing digital vai além de bons criativos

Aprender a criar criativos que se convertem é essencial para qualquer profissional de marketing digital, como pregamos na V4 Company e como eu mostro nas minhas aulas do G4 Marketing e Growth. Mas essa área vai além disso. 

Por exemplo, com o sucesso das suas campanhas, os leads gerados, muito provavelmente, precisarão passar por um processo de conversão. E para isso, um time de Inside Sales [explicamos melhor aqui] se torna essencial. 

Isso é um dos pontos que diferencia uma assessoria de uma agência de marketing convencional. A assessoria de marketing foca em vendas porque o marketing só faz sentido quando vende. 

As agências, na sua maioria, focam em criativos bonitos que geram likes e seguidores. Infelizmente, isso não paga o salário da sua equipe. Por isso, como assessoria, na V4 Company nós focamos em criativos, campanhas e processos que se convertem em vendas. 

Caso você queira crescer nesse meio e se tornar um profissional indispensável em qualquer empresa, você precisa enxergar o marketing digital como ciência. Ou seja, tudo é testado e validado por meio de dados e não de ideias. 

Dener Lippert é Fundador e CEO da V4 Company, mentor da imersão G4 Marketing & Growth e autor do livro "Cientista do Marketing: Como vender para mais pessoas, mais vezes e pelo maior valor".

Matérias relacionadas
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
Algum termo te deixou com dúvidas?
Saiba o que significa no nosso glossário do empresário.
Acessar agora