Lego: Estudo de caso

Entenda como a Lego se utilizou de sua quase falência para conquistar a posição de maior fabricante de brinquedos do mundo.

O sucesso da Lego

A LEGO já recebeu duas vezes o prêmio de “Brinquedo do Século”, sendo vendida em todo o mundo e ocupando a posição de líder mundial no segmento.

Em 1932, Ole Kirk, iniciou a criação de brinquedos de madeira, porém com muita dificuldade em vender suas criações, Ole passava por dificuldades financeiras. 

A origem da Lego

Tendo uma boa visão de negócios para o futuro, em 1946 adquiriu a sua primeira máquina para confeccionar brinquedos de plástico e em 1949 surgiu os “tijolos de encaixe automático”

Posteriormente, tornaram-se os “tijolos LEGO”, em 1953, dando início a ascensão da empresa. 21 anos após fundar o negócio, após muitas tentativas.

Um insight pós tragédia 

Em 1960, a empresa passava por um segundo incêndio na  fábrica. Que por sua vez ,  acabou com todo o estoque de brinquedos de madeira.

O incêndio foi um gatilho que levou Godtfred, filho de Ole, a tomar a grande decisão: investir apenas nos tijolos e conjuntos do “System in Play”.

A ascensão da LEGO

Em 1967, a LEGO já estava vendendo de 18 a 19 milhões de conjuntos e operando em mais de 40 países, com fábricas nos Estados Unidos e Noruega. 

A quase falência da LEGO

Com a ideia de se reinventar e diversificar os seus produtos, a lego chama uma equipe de consultores para...

desenhar roupas, jóias para meninas, parques temáticos e novas linhas de brinquedos na tentativa de expandir ainda mais o negócio.

Porém, o retorno desses investimentos não foram como esperado e, em 1998, a LEGO começou a acumular dívidas que chegaram a mais de US$800 milhões em 2003. 

Não pare por aqui!

A G4 Educação montou um estudo de caso completo, sobre a LEGO, analisando todo o negócio, para continuar lendo basta clicar a baixo e ir para o post!