Artigos, Conteúdos em Destaque

Os 10 maiores Digital Influencers do mundo e novas perspectivas sobre o marketing de influência


sai lista da forbes com os maiores influenciadores digitais de 2022

O ceticismo quanto à relevância dos influenciadores digitais parece estar com os dias contados. Com a internet, eles possuem não só uma base de fãs fiéis como também protagonizam iniciativas empreendedoras milionárias. A primeira lista da Forbes sobre digital influencers não só consolida a força dos creators, como aponta um novo momento para estratégias de marketing. 

O mercado de influenciadores digitais está crescendo de maneira consistente: passou de US$9,7 bilhões em 2020 para US$13,8 bilhões em 2021 e a expectativa é que movimente US$ 15 bilhões em 2022, um crescimento de cerca de 42% ano a ano:

tamanho do mercado e influenciadores ao longo dos anos
(Na imagem: tamanho do mercado e influenciadores ao longo dos anos)
(Créditos: Collabstr)

Impulsionado por mudanças comportamentais, esses influenciadores se tornaram uma potência igual ou superior a celebridades hollywoodianas, redefinindo o entretenimento, a publicidade e o próprio conceito de fama: geralmente amados por serem “eles mesmos.” 

Contudo, é importante destacar que o seu impacto vai muito além do estrelato: Charli D’Amelio (a segunda colocada na lista inaugural) chegou a faturar mais que o diretor-executivo do McDonalds, Chris Kempczinski (US$ 10,8 milhões), e o atual CEO da Apple, Tim Cook (US$ 14,7 milhões).

A lista de Creators da Forbes – que incluiu entre os 50 nomes uma influenciadora brasileira -, é sem dúvidas um marco, e simboliza não só um novo momento para o marketing de influência como também para os negócios.

Como a Forbes elegeu os principais influenciadores digitais do mundo?

A Forbes criou a lista Top Creators 2022 com a ajuda da agência Influential, especializada em criadores. A publicação chegou aos 50 nomes levando em consideração o conceito geral de influenciador (pessoas que lançaram carreiras nas mídias sociais), e a partir de três critérios:

  • Ganhos (finanças): os ganhos foram baseados em documentos e entrevistas com criadores e especialistas em mídia, e representou 50% da classificação. 
  • Influência: para entender o engajamento total foi analisado curtidas, comentários e compartilhamentos dividido pelo total de seguidores (a soma contou com seguidores de todas as plataformas)
  • Empreendedorismo: em uma escala de um a três, o nível de empreendedorismo diz respeito a porcentagem de dinheiro ganho com publicidade e com empreendimentos (empresas, marcas e serviços).

Top creators: quem são os maiores influenciadores digitais de 2022

Do Youtube ao TikTok. Dos podcasts aos ringues de boxe. Os principais influenciadores digitais estão ressignificando o entretenimento, o sucesso e os negócios, e se tornando milionários ao longo do caminho. De acordo com a Forbes, os 10 maiores digital influencers do mundo são:

  • 1 Jimmy Donaldson (MrBeast)
  • 2 Charli D’Amelio
  • 3 – Alexandra Cooper
  • 4 – Elliot Tebele (FuckJerry)
  • 5 – Emma Chamberlain
  • 6 – Huda Kattan
  • 7 – Rhett McLaughlin & Link Neal (Rhett & Link)
  • 8 – Khaby Lame
  • 9 – Addison Rae Easterling
  • 10 – Jake Paul

#1 – Jimmy Donaldson (MrBeast)

Jimmy Donaldson (MrBeast) na lista da forbes
(Na imagem: Jimmy Donaldson, popularmente conhecido como MrBeast, eleito o principal influenciador do mundo)
(Créditos: divulgação)
  • Apelido: MrBeast
  • Nome completo: Jimmy Donaldson
  • Idade: 24 anos
  • Nacionalidade: americano
  • Faturamento estimado em 2021: $54 milhões
  • Número de seguidores: 162M
  • Perfis nas mídias sociais: Instagram, Youtube, Twitter, TikTok
  • Engajamento médio: 5.99%
  • Pontuação de empreendedorismo: 3

#2 – Charli D’Amelio

Charli D'Amelio segunda influenciadora na lista de criadores mais influentes da forbes
(Na imagem: Charlie D’Amelio, ocupa a segunda posição na lista de digital influencers da Forbes)
(Créditos: Forbes)
  • Nome completo: Charlie D’Amelio
  • Idade: 18 anos
  • Nacionalidade: americana
  • Faturamento estimado em 2021: $17.5 milhões
  • Número de seguidores: 203.7M
  • Perfis nas mídias sociais: Instagram, TikTok, Youtube, Twitter
  • Engajamento médio: 2.16%
  • Pontuação de empreendedorismo: 3

#3 – Alexandra Cooper

Alexandra Cooper, terceira colocada na lista de influenciadores digitais da forbes
(Na imagem: Alexandra Cooper, ocupa a terceira posição na lista de digital influencers da Forbes)
(Créditos: Forbes/Gurerin Blask)
  • Nome completo: Alexandra Cooper
  • Idade: 28 anos
  • Nacionalidade: americana
  • Faturamento estimado em 2021: $20 milhões
  • Número de seguidores: 3.6M
  • Perfis nas mídias sociais: Instagram, podcast
  • Engajamento médio: 15.98%
  • Pontuação de empreendedorismo: 3

#4 – Elliot Tebele (FuckJerry)

Elliot Tebele (FuckJerry) o quarto colocado na lista de influenciadores da forbes
(Na imagem: Elliot Tebele (FuckJerry), ocupa a quarta posição na lista de digital influencers da Forbes)
(Créditos: Forbes/Jamel Toppin)
  • Apelido: FuckJerry
  • Nome completo: Elliot Tebele
  • Idade: 31 anos
  • Nacionalidade: americano
  • Faturamento estimado em 2021: $30 milhões
  • Número de seguidores: 20.1M
  • Perfis nas mídias sociais: Instagram
  • Engajamento médio: 1.77%
  • Pontuação de empreendedorismo: 3

#5 – Emma Chamberlain

(Na imagem: Emma Chamberlain, ocupa a quinta posição na lista de digital influencers da Forbes)
(Créditos: New York Times)
  • Nome completo: Emma Chamberlain
  • Idade: 21 anos
  • Nacionalidade: americana
  • Faturamento estimado em 2021: $12 milhões
  • Número de seguidores: 27.6M
  • Perfis nas mídias sociais: Instagram, Youtube
  • Engajamento médio: 6.84%
  • Pontuação de empreendedorismo: 3

#6 – Huda Kattan

Huda Kattan, a sexta colocada na lista de influenciadores da forbes
(Na imagem: Huda Kattan, ocupa a sexta posição na lista de digital influencers da Forbes)
(Créditos: Divulgação / Huda Beauty)
  • Nome completo: Huda Kattan
  • Idade: 38 anos
  • Nacionalidade: americana
  • Faturamento estimado em 2021: $13 milhões
  • Número de seguidores: 63M
  • Perfis nas mídias sociais: Instagram, Facebook
  • Engajamento médio: 2.17%
  • Pontuação de empreendedorismo: 3

#7 – Rhett McLaughlin & Link Neal (Rhett & Link)

Rhett McLaughlin & Link Neal (Rhett & Link), 7 colocado da lista de influenciadores da forbes
(Na imagem: Rhett McLaughlin & Link Neal ocupam o sétimo lugar na lista de digital influencers da Forbes)
(Créditos: Penguin Random House)
  • Nome completo: Rhett McLaughlin & Link Neal (Rhett & Link)
  • Idade: ambos 44 anos
  • Nacionalidade: americanos
  • Faturamento estimado em 2021: $30 milhões
  • Número de seguidores: 11.8M
  • Perfis nas mídias sociais: Instagram, Facebook, Twitter, Youtube
  • Engajamento médio: 1.34%
  • Pontuação de empreendedorismo: 3

#8 – Khaby Lame

khaby lame, o quarto colocado na lista de influenciadores da forbes
(Na imagem: Khaby Lame ocupa o oitavo lugar na lista de digital influencers da Forbes)
(Créditos: Stefano Guidi)
  • Nome completo: Khaby Lame
  • Idade: 22 anos
  • Nacionalidade: senegalês
  • Faturamento estimado em 2021: $10 milhões
  • Número de seguidores: 231.4M
  • Perfis nas mídias sociais: Instagram, TikTok, Youtube
  • Engajamento médio: 3.57%
  • Pontuação de empreendedorismo: 3

#9 – Addison Rae Easterling

(Na imagem: Addison Rae ocupa o nono lugar na lista de digital influencers da Forbes)
(Créditos: Shelby Goldstein)
  • Nome completo: Addison Rae Easterling
  • Idade: 21 anos
  • Nacionalidade: americana
  • Faturamento estimado em 2021: $8.5 milhões
  • Número de seguidores: 133M
  • Perfis nas mídias sociais: Instagram, TikTok, Twitter, Youtube
  • Engajamento médio: 6.43%
  • Pontuação de empreendedorismo: 3

#10 – Jake Paul

(Na imagem: Jake Paul ocupa o décimo lugar na lista de digital influencers da Forbes)
(Créditos: Mike Stobe)
  • Nome completo: Jake Paul
  • Idade: 25 anos
  • Nacionalidade: americano
  • Faturamento estimado em 2021: $45 milhões
  • Número de seguidores: 57.3M
  • Perfis nas mídias sociais: Instagram, Twitter, Youtube
  • Engajamento médio: 1.49%
  • Pontuação de empreendedorismo: 2

Você pode ver a lista de creators completa aqui. E se ao longo desse conteúdo você procurou pelo nome brasileiro na lista, aqui está: a influenciadora e empresária Camila Coelho ocupa a 30º posição na lista. Com 34 anos, Camila possui mais de 12M de seguidores e engajamento de 2.51%, faturando em 2021 cerca de US$2.5 milhões.

camila coelho, unica brasileira na lista de creators da forbes
(Na imagem: Camila Coelho, única brasileira na lista de creators da Forbes)
(Créditos: Krizia Loechle)

Novos caminhos: o marketing de influenciadores pode ir muito além do awareness

Os influenciadores podem dividir opiniões quanto a origem de sua fama, mas é inegável o quanto impactam o comércio, alcançando algo que por muito tempo as marcas desejaram: relacionamentos duradouros e reais, construídos através de conteúdos considerados autênticos.

A autenticidade é um elemento essencial para as gerações mais novas, principalmente, a geração Z, que deseja se identificar mais do que se inspirar.

Nesse contexto, as marcas entendem naturalmente o valor de patrociná-los, fazendo com que os influenciadores ocupem um lugar relevante em estratégias de marketing, uma vez que a sua influência não é uma figura de linguagem.

Os 50 nomes na lista da Forbes possuem juntos, cerca de 1,9 bilhão de seguidores no Instagram, TikTok e YouTube e seus conteúdos são consumidos por um público acima de tudo, engajado.

Além de toda a fama, quem nunca se perguntou quanto ganha um influenciador digital? Ídolos na era conectada, no total, os 50 influenciadores faturaram cerca de US$570 milhões em 2021 e esse valor só tende a aumentar. 

Isso porque o mercado está mudando, e o marketing de influenciadores evoluindo. 

Se antes os influenciadores digitais eram utilizados principalmente para gerar awareness, ajudando empresas a construírem suas marcas e a se conectarem com o ICP, a tendência é que ocupem um lugar cada vez mais tático no funil de vendas.

O avanço da tecnologia e das plataformas digitais está ajudando o mercado a amadurecer, criando possibilidades que vão além do social selling, por exemplo.

Social Commerce

Recentemente o Instagram começou a realizar testes em uma ferramenta nativa que permitiria que os criadores ganhassem comissões por compras realizadas dentro do aplicativo. 

Em 2021, o TikTok começou a dar os primeiros passos no e-commerce quando anunciou uma parceria com o Shopify. 

anúncio da parceria entre tiktok e o shopify
(Na imagem: anúncio da parceria entre TikTok e o Shopify)
(Créditos: Divulgação – TikTok e Shopify)

A plataforma também vem impulsionando o TikTok Shopping, fortalecendo o social commerce que vem ganhando cada vez mais importância: de acordo com o Instagram, 130 milhões de usuários acessaram postagens compráveis em 2019. 

“As maneiras de trabalhar com um criador estão se fragmentando, não apenas temos mais plataformas e nichos criativos, mas também dentro das próprias plataformas, há muito mais recursos a serem aproveitados”.

Eric Dahan Cofounder e CEO da Open Influence, agência de marketing global focada em influenciadores

Creators e outras avenidas de crescimento

Parte de um mercado que movimenta bilhões, os influenciadores construíram carreiras rentáveis colaborando com grandes marcas. Mas assim como o próprio setor, eles também estão progredindo, e parecem cada vez mais inclinados a se tornarem empreendedores. 

Com um nome consolidado, podem utilizar seu alcance e fãs leais para criar conteúdos premium (e pagos) além de iniciar seus próprios negócios, aumentando os lucros razoavelmente. Os empreendimentos incluem linhas de roupa, beleza, séries na TV e até redes de fast food – o céu é o limite e os lucros também.

Jimmy Donaldson, mais conhecido como MrBeast, é o primeiro colocado na lista inaugural das estrelas digitais e está levando seu sucesso para além do mundo online: ele acaba de inaugurar sua própria cadeia de fast food, nomeada apropriadamente de MrBeast Burger. A operação também se dá de maneira moderna, através de cozinhas fantasmas (ghost kitchens).

Logo depois, Charli D’Amelio, que ocupa a segunda posição, apresentou um faturamento estimado em mais de US$ 17 milhões, adquiridos através de linhas de roupas e perfumes, sua própria série na tv e investimentos em ações. Sua irmã, Dixie D’Amelio, também está na lista e ocupa a 21º posição. Se somarmos o ganho de ambas, o valor fica em torno de US$ 27 milhões.

Nesse cenário, as marcas podem se posicionar estrategicamente, atuando como uma parceira de negócios ou oferecendo vantagens mais atrativas, como colaborações mais longas (atreladas a linhas de produtos), ou ainda, tornando-se patrocinadores oficiais dos criadores.

Charli D’Amelio segurando seu primeiro perfume, chamado born dreamer
(Na imagem:  Charli D’Amelio posa com seu primeiro perfume Born Dreamer)
(Créditos: Ulta Beauty)

Para lançar seu primeiro perfume “Born Dreamer”, Charli D’Amelio colaborou com a tradicional fabricante de fragrâncias francesa Robertet, que através da parceria, também teve a oportunidade de apresentar seus perfumes para gerações mais novas.

Uma era conectada demanda celebridades conectadas

A pandemia acelerou a digitalização do mercado, e por não estarem devidamente preparadas para atuar além do offline, muitas empresas deixaram dinheiro na mesa. Agora que a transformação digital é uma realidade mais tangível, mesmo aquelas organizações que chegaram depois, estão buscando diminuir as lacunas e se conectar com o consumidor. 

Para se destacar da concorrência, as parcerias entre marcas e digital influencers tendem a crescer exponencialmente, sendo cada vez mais diversas e duradouras. 

Os influenciadores coletaram uma base de conhecimento consistente sobre o comportamento do consumidor online, se tornando um ativo valioso principalmente para o varejo, que parece caminhar cada vez mais para o social commerce

Para navegar com sabedoria pela nova realidade, as empresas podem utilizar creators de maneira assertiva, dinâmica e criativa, cultivando relacionamentos significativos e aproveitando a evolução de recursos das plataformas para converter o lead.

Os influencers trilharam um longo caminho até aqui, mas com uma gestão refinada e aproveitando as alavancas de crescimento criadas pela tecnologia, estão se tornando praticamente indispensáveis no mercado – colaborando com terceiros ou criando suas próprias avenidas de crescimento.

Assim como o marketing de influência, o seu negócio precisa evoluir. Para isso, conheça o G4 Imersão e Mentoria do G4 Educação e aprenda a explorar novos canais, práticas, frameworks e ferramentas de gestão que te ajudarão a tornar o seu negócio ainda mais relevante.

New call-to-action

*Créditos da imagem em destaque: BOSS / Forbes. Arte: G4 Educação

Glossário do Empreendedor

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W Y X Z
Banner G4 for Business 01
Banner G4