Artigos, Startups

Tech startups: o que é fintech, insurtech, healthtech e mais [+ exemplos]


ilustração de um planeta conectado.

As tech startups vem construindo um impacto promissor para a aceleração da transformação digital em diversos setores. Fintechs, edtechs, healthtechs são nomenclaturas utilizadas cada vez mais no mundo empresarial, mas o que o sufixo “tech” realmente significa?

As startups já são bastante populares, amadas pelo público e estudadas por muitas empresas. Muitas vezes relacionadas com inovação, disruptividade e originalidade, por exemplo, são consideradas de fato inovadoras em seus respectivos setores, mas não é uma regra. 

Para que um negócio seja considerado uma startup, isso é, um modelo replicável e escalável, algumas características são fundamentais.

De maneira geral, precisa funcionar de maneira que possa ser replicável, ou seja, capaz de funcionar em diferentes lugares, e também escalável, que significa que o crescimento de sua receita deve aumentar de maneira desproporcional aos custos. 

Com muitos cases notáveis, foi natural que de alguns anos para cá, tenha adquirido um status de buzzword, e essa percepção não é só uma impressão, já que os investimentos em negócios escaláveis entre 2020 e 2021 cresceram violentamente.

De acordo com uma pesquisa da KPMG e da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (Abvcap) citada em um artigo da Exame, em 2021, fundos de Venture Capital aportaram R$ 46,5 bilhões em startups brasileiras, triplicando a cifra registrada um ano antes.

A alta crescente das receitas nas rodadas não ocorre apenas no Brasil. A quebra de recordes em valores dos aportes nas startups é uma tendência global. O investimento de risco global cresceu 92% no ano passado, chegando aos US$ 643 bilhões, contra US$ 335 bilhões em 2020. 

Mas que negócios são esses? Quais soluções estão sendo apoiadas financeiramente de maneira tão exponencial? 

Se você acompanha o ecossistema de inovação, já deve ter se deparado com o “sufixo” tech, que acompanha e diferencia esses negócios, como Fintech e Edtech. Isso se dá para diferenciar os segmentos de atuação das startups, que por sua vez, apresentam diferentes soluções para diferentes setores.

Existem cerca de 22 diferentes segmentos de atuação e ao longo desse conteúdo, vamos explicar cada uma delas. Mas antes, o que podemos considerar como startups techs?

Definindo o que é tech:

Uma descrição bem aceita e difundida para tech, são empresas que cresceram com a internet, consideradas “disruptivas” e mesmo que não seja regra, geralmente possuem origens no famoso Vale do Silício, desenvolvendo seu modelo de negócios na web.

Contudo, com as transformações tecnológicas vivenciadas até aqui, a tecnologia está cada vez mais onipresente, mesmo em modelos mais tradicionais, fazendo com que basicamente toda empresa que queira se manter relevante no mercado, tenha que rever sua proposta de valor, migrando cada vez mais para o digital. 

Diante dessa nova conjuntura, o que podemos considerar tech, então? Uma empresa é considerada tech se de alguma maneira, ajuda a desenvolver a tecnologia, isso é, não somente fazendo uso dela para continuar atuando de maneira tradicional.

Ou seja, uma startup tech utiliza tecnologia moderna para sair da norma e para promover mudanças tecnológicas.

A Amazon, por exemplo, pode ser considerada tech por suas inovações em serviços de computação em nuvem. Já o WeWork, utiliza um modelo tradicional já disponível para se destacar, contudo não é responsável por nenhuma tecnologia disruptiva. Ele ainda funciona em uma lógica tradicional.

“O “EverythingTech” (tudo tech), é impulsionado por empreendedores que usam tecnologia moderna para romper com a norma, a busca por avaliações e ROI mais altos e o objetivo de fornecer produtos e serviços inovadores.”

Stefan Haase – Consultor estratégico na Whitecap Consulting

Quais são os segmentos das tech startups?

Agora que você já sabe o que tech realmente significa, fica mais fácil entender o diferencial competitivo do setor de startups. Independente da solução, a aplicação da tecnologia é o que realmente determina o valor da inovação em si.

Levando em consideração as especificidades do mercado de atuação, é possível elencar o elemento tech que agregará inovação, reduzindo custos e incrementando eficiência. Algumas dessas tecnologias são:

  • Inteligência artificial
  • IoT (Internet das coisas)
  • Data Analytics
  • Blockchain

Os segmentos em que essas tecnologias podem ser manifestadas no mundo das startups são:

  • Fintech
  • Edtech 
  • Healthtech ou Medtech
  • Foodtech
  • Proptech
  • Lawtech ou Legaltech
  • HRtech ou RHtech
  • Energytech
  • Agrotech ou Agtech
  • Construtech
  • Insurtech
  • Sporttech
  • Govtech
  • Retailtech
  • Adtech ou Mertech
  • Cleantech
  • Nanotech
  • Funtech
  • Fashiontech
  • Biotech
  • Indtech
  • Regtech

O que é fintech?

Voltadas ao setor financeiro, as chamadas fintechs, sem dúvida, estabeleceram uma tendência. Apoiadas pela tecnologia, estabeleceram inovações para diversos serviços financeiros, como empréstimo, financiamento, gestão e mais.

fundadores da nubank aa abertura de capital do Nubank na bolsa americana
(Na imagem: os fundadores do Nubank, Edward Wible (esquerda), Cristina Junqueira (centro) e David Velez (direita), na abertura de capital do Nubank na bolsa americana) (Crédito: Suno / Courtney Crow / NYSE)

As plataformas digitais revolucionaram um setor que atendia de maneira burocrática e demorada, e os serviços digitais impactaram o cenário financeiro tradicional, automatizando processos, acelerando transações e investindo em customer experience.

  • Exemplos de fintechs no Brasil: Nubank, Creditas, PicPay, Neon
  • Exemplos de fintechs internacionais: TransferWise, Robinhood, Compass

O que é edtech

Representando o maior segmento de startups no Brasil, 17,3% segundo a Abstartups, as edtechs são focadas em educação, aplicando tecnologias que facilitam a aprendizagem, e aprimoram os sistemas educacionais.

A tecnologia utilizada é diversa, mas geralmente funciona através de plataformas online, que geralmente, gamificam o aprendizado, aumentando sua eficácia, uma vez que essa abordagem é caracterizada, sobretudo, por facilitar a interação pedagógica, proporcionando maior assimilação do aprendizado.

  • Exemplos de edtechs no Brasil: G4 Educação, Descomplica, Tera
  • Exemplos de edtechs internacionais: Duolingo, Udemy, Coursera

O que é healthtech ou medtech? 

Um dos maiores exemplos da potência da tecnologia, as healthtechs fazem parte do segmento de startups que mais cresce no país. Durante a pandemia houve um aumento de 118% se comparado a 2018 e 2020, segundo dados citados pela Forbes.

Trazendo soluções inovadoras, como marketplaces de saúde, devices médicos, gestão do paciente, prontuário médico e mais, inovaram em um setor tradicional e imerso em instrumentais muitas vezes contra-produtivos. A healthtech Alice, por exemplo, criou seu Super App do zero, disponibilizando serviços de gestão e consultas digitais: 

Interface do aplicativo Alice, healthtech brasileira
(Interface do aplicativo Alice, uma das principais heathtechs do Brasil)
(Créditos: blog.alice.com.br)
  • Exemplos de healthtechs no Brasil: Alice, Dr. Consulta, Sami Saúde
  • Exemplos de healthtechs internacionais: Samumed, WeDoctor, Ottobock

O que é foodtech? 

Um dos segmentos mais populares de startups, as foodtechs desenvolvem soluções para o setor alimentício. Suas soluções são tão influentes atualmente, que fica difícil imaginar o cotidiano sem a atuação dessas empresas. 

De acordo com o PitchBook, o segmento deve movimentar até R$ 980 bilhões globalmente em 2022, e foca, resumidamente, em soluções tecnológicas voltadas à relação do consumidor com a comida, interferindo diretamente na cadeia produtiva, de distribuição, e até na maneira como nos alimentamos.

  • Exemplos de foodtechs no Brasil: Liv Up, Raízs, Beleaf 
  • Exemplos de foodtechs internacionais: Avant, Cultivated Meat, CellX

O que é proptech?

Os negócios imobiliários também estão sendo reformulados pela tecnologia. As proptechs são startups imobiliárias  que estão reformulando a negociação de imóveis utilizando big data, realidade aumentada, blockchain e outras tecnologias, facilitando as operações entre os envolvidos.

Entre clientes, corretores e compradores, as soluções são diversas, mas com um objetivo em comum: diminuem a burocracia, adicionam camadas de praticidade e agilidade, além de gerar mais confiança.

  • Exemplos de proptechs no Brasil: Loft, RuaDois, Kzas
  • Exemplos de proptechs internacionais: Zumper, OpenDoor

O que é lawtech ou legaltech?

O setor jurídico também está sendo impactado pela atuação inovadora das startups. Produtos e serviços que facilitam o dia a dia, como softwares de gestão para advogados ou acordos judiciais baseados em dados, já estão transformando o segmento.

Essas soluções existem e são viabilizadas pelas lawtechs ou legaltechs, que promovem soluções apoiadas pela tecnologia para o setor jurídico. O cenário é promissor, em 2010 apenas 20 legaltechs estavam atuando levando em consideração um panorama global, em 2018, 8 anos depois, esse número subiu para 1.500 startups. 

  • Exemplos de legaltechs no Brasil: Legal Insights, Taxcel, Lawvision 
  • Exemplos de legaltechs internacionais: Clio, Rocket Lawyer, Notarize

O que é HRtech ou RHtech?

É inegável que a gestão de pessoas mudou. As transformações tecnológicas trouxe mudanças significativas para a área de recursos humanos, e a tendência é que fique cada vez mais tecnológica e apoiada em dados. 

As RHtechs são startups que atuam com recursos humanos, utilizando soluções tecnológicas e inovação voltadas à gestão de pessoas. Essas soluções consistem em softwares de gerenciamento de processos e plataformas que facilitam o processo de recrutamento e seleção, por exemplo.

Tech startups: o que é fintech, insurtech, healthtech e mais [+ exemplos]
(Na imagem: empresa de transportes Scania, realizando um processo seletivo no Metaverso, feito pela Companhia de Estágios)
(Créditos: Folha de São Paulo)

Mas não se resume somente a processos seletivos. O desafio dessas empresas é diminuir os processos burocráticos, promovendo mais otimização e integração aos processos, além de facilitar a utilização de métricas, fazendo com que o departamento se volte para a tomada de decisões baseadas em dados.

  • Exemplos de RHtechs no Brasil: Gympass, 99jobs, Gupy, Qulture.Rocks
  • Exemplos de RHtechs internacionais: 360Learning, SkillUp, Skello 

O que é energytech?

As energytechs, como o nome sugere, são voltadas para o setor de energia, e visam promover soluções energéticas baseadas em sua maioria, em energias renováveis. Atuando em um setor majoritariamente tradicional, existem menos de 200 startups no Brasil.

Apesar do desafio, desde 2015, captaram mais de US$85 milhões em investimentos. Além de energia renovável, as startups desse segmento focam em gestão energética, eficiência energética, aproveitamento de energia e mais. 

  • Exemplos de energytechs no Brasil: Way2 Technology, Órigo Energia, Blue Sol 
  • Exemplos de energytechs internacionais: Mosaic, Ecobee, Uplight

O que é agrotech ou agtech?

Por muito tempo o agronegócio ficou distante das transformações tecnológicas, sobretudo, o campo. As agrotechs tentam mudar essa realidade, usando tecnologia para auxiliar processos voltados para esse setor. 

As soluções são voltadas para a agricultura, pecuária e agronegócio de maneira geral, e tem revolucionado o mercado, otimizando processos essenciais, como o cultivo por exemplo. Com a chamada agricultura de precisão, é possível coletar e analisar dados que determinam as melhores condições para cultivar em determinada época.

  • Exemplos de agrotechs no Brasil: BovControl, Strider, Aegro
  • Exemplos de agrotechs internacionais: Trace Genomics, CiBO Technologies, FarmLead

O que é construtech?

Com uma cadeia ampla e com um fluxo de etapas intenso, o setor de construção civil precisa de soluções que organizem e otimizem o processo, diminuindo erros e custos. 

Nessa perspectiva, surgem as construtechs, com soluções que visam atender desde o canteiro de obras até a parte administrativa do setor, voltadas para orçamento, gestão, processos e outros. Os produtos e serviços facilitam o acompanhamento de uma obra, por exemplo, ajudando na produtividade, fortalecendo a eficiência e ajudando a evitar erros. 

  • Exemplos de construtechs no Brasil: Coteaqui, Construcode, Renove já 
  • Exemplos de construtechs internacionais: BusyBusy, Buildcon, Pantera Global Technology

O que é insurtech?

O setor de seguros é caracterizado por processos burocráticos e demorados. Nesse contexto, as insurtechs atuam promovendo soluções mais otimizadas e personalizadas, agregando valor e facilitando procedimentos.

Tanto seguradoras, como corretoras e segurados são impactados, já que essas startups atuam no ambiente digital, otimizando processos, principalmente no momento de fazer uma cotação, por exemplo, promovendo  um relacionamento mais ágil e personalizável com o cliente.

  • Exemplos de healthtech no Brasil: Ciclic, 88i, Minuto Seguros
  • Exemplos de healthtech internacionais: Lazarus AI, Halos, Sorcero

O que é sport tech?

As sport techs são startups que atuam no mundo dos esportes, criando diversas soluções levando em consideração tanto o atleta quanto o setor esportivo em si. Em comparação a outros segmentos, sua presença ainda está em desenvolvimento, e em solo nacional, existem um pouco mais de 120 sport techs, de acordo com o Brazil Sport Tech.

Entre suas principais atuações podemos citar aplicativos e softwares para acompanhamento de metas para os esportistas, conexões entre clubes e congregações, plataformas de marketplaces e mais.

  • Exemplos de sport techs no Brasil: Voit, Atletas.now, Tero
  • Exemplos de sport techs internacionais: Fanatics, LeSports, Sorare

O que é govtech?

O setor público é conhecido pela demasiada sistematização de processos, burocracias e procedimentos complicados. Contudo, essa abordagem está cada vez mais perto de ficar antiquada, uma vez que a transformação digital está alcançando também o setor público.

Frente a esses grandes desafios, as govtechs visam trazer perspectivas tecnológicas para a gestão pública, desenvolvendo softwares que introduzem sistemas que auxiliam na otimização de procedimentos e serviços, por exemplo, aumentando a eficiência, reduzindo prazos e contribuindo para a transparência, que é imprescindível sobretudo nos órgãos públicos.

  • Exemplos de govtechs no Brasil: Gove.Digital, Signa, Sipremo
  • Exemplos de govtechs internacionais: Zencity, Verv, CitizenLab

O que é retailtech?

Para quem acompanha o varejo, sabe que o setor enfrenta inúmeros desafios recorrentes em vários negócios, como fornecedores, mercado incerto e mais. Contudo, um dos maiores desafios envolvem tecnologia. Acostumadas ao ambiente físico, se atualizar pode ser difícil. 

Nesse contexto, as retailtechs  estão transformando o setor digitalmente, e isso não se reduz somente a e-commerces. As startups deste segmento propõem diversas soluções para logística, pagamentos, ambientes virtuais e outros. Exemplo de ação promovida por ratailtech:

  • Exemplos de retailtechs no Brasil: Cuponeira, Track.co 
  • Exemplos de retailtechs internacionais: Square, Amazon 4Star

O que é adtech ou martech?

O mercado de anúncios no ambiente digital vive um de seus melhores momentos. O Google, um dos maiores nomes quando o assunto é anúncio, possui, nessa frente, seu maior faturamento. 

Utilizando dados comportamentais e características dos usuários através de cookies, as adtechs são startups focadas no gerenciamento de campanhas digitais com uma segmentação geral, já que o foco é chamar a atenção de um público menos definido.

Já as martechs possuem um leque de atuação maior, como SEO e email marketing, por exemplo, utilizando tecnologias como web analytics e CRM e com um interesse maior em segmentar, definindo um público mais específico. O vídeo a seguir ilustra de maneira didática e simples as principais diferenças entre uma e outra:

  • Exemplos de adtechs no Brasil: Inove, Blinks, Scale
  • Exemplos de adtechs internacionais: Google Adwords, Skyword, Vimeo

O que é cleantech?

As cleantechs como o nome já sugere, são startups que atuam focadas em sustentabilidade, apoiadas pelo uso de tecnologia em diferentes setores. Entre eles, estão: armazenamento de energia, transporte, agricultura, ar e meio ambiente e outros. Ao todo, atuam em 8 categorias com diferentes soluções para diminuir o impacto negativo. 

Utilizando tecnologias como machine learning e inteligência artificial, desenvolvem iniciativas para um futuro mais sustentável. Muitas dessas startups adotam modelos B2B, e segundo um relatório global de 2021 da Cleantech Group, esse segmento movimentou $1.3 bilhões mundialmente. 

  • Exemplos de cleantechs no Brasil: Enercycle, BeGreen
  • Exemplos de cleantechs internacionais: Karma, NewLeaf, Imperfect Foods

O que é nanotech?

A nanotecnologia utiliza o conhecimento da matéria em nanoescala, em escala atômica e molecular, para construir estruturas e novos materiais a partir de átomos. 

As nanotechs atuam em diversos setores, desenvolvendo novos materiais e componentes que visam modernizar setores industriais e tecnológicos. Mas que materiais são esses? As soluções incluem finas películas para televisores, óculos, computadores e câmeras, por exemplo.

Protótipo de painéis de iluminação OLED da empresa Lumiotec
(Protótipo de painéis de iluminação OLED da empresa Lumiotec. Os displays OLED ou led orgânicos, possuem imagens mais brilhantes e consumo reduzido de energia, e foram criados com a ajuda da nanotecnologia)
(Créditos: divulgação)

Uma outra abordagem, são as nanopartículas que ajudam a catalisar reações químicas provenientes da indústria, reduzindo os custos e a quantidade de poluentes advindos do refinamento do petróleo e da indústria automotiva, por exemplo.

  • Exemplos de nanotechs no Brasil: NanoScoping Soluções em Nanotecnologia
  • Exemplos de nanotechs internacionais: Nanoform, ARIZ, Nanostics

O que é funtech?

Segundo uma pesquisa global da PwC, o mercado de entretenimento e mídia deve crescer 4,7% até 2025, chegando a movimentar US$38 bilhões. É nesse cenário promissor que as funtechs atuam, isso é, startups voltadas para o setor do entretenimento. 

Apoiadas por tecnologias que incrementam a experiência do cliente, a chamada customer experience (CX), além de UX e o big data, por exemplo, desenvolvem serviços voltados para o streaming, jogos, venda de ingressos para eventos, etc. 

  • Exemplos de funtechs no Brasil: Twidie
  • Exemplos de funtechs internacionais: Netflix, Spotify 

O que é fashiontech?

A indústria da moda está tentando se reinventar e para tal, a interseção entre tecnologia e moda é fundamental. Conhecida por sua atuação massiva e em larga escala, ferramentas tecnológicas já são velhas conhecidas. 

Contudo, a abordagem tecnológica das startups consideradas fashiontechs, desenvolvem soluções ainda visando aumentar a agilidade dos processos, mas principalmente, em construir um setor mais sustentável, como o desenvolvimento de tecidos tecnológicos e cadeias mais sustentáveis. 

É o caso da supermicrofibra, que compõe uma categoria de tecidos com fios extremamente finos, desenvolvidos pela Digitale Têxtil. Além de características como maior resistência e durabilidade, é mais sustentável, uma vez que utiliza menos água para ser produzido:

produção do tecido da supermicrofibra
(Na imagem: tecido supermicrofibra)
(Créditos: Digitale Têxtil)
  • Exemplos de fashiontechs no Brasil: Houpa
  • Exemplos de fashiontechs internacionais: Cymbio, Halla, Bolt

O que é biotech?

A biotecnologia desenvolve soluções a partir de uma base biológica, isto é, de organismos vivos, baseados em processos biomoleculares e celulares.

Sendo assim, as biotechs desenvolvem ou melhoram produtos e serviços, em diferentes áreas de atuação, como agricultura, indústria, medicina, tratamento do solo e outros, estabelecendo novos paradigmas. 

Para tornar esse segmento um pouco mais palpável, podemos exemplificar a atuação das biotechs na agricultura: com o uso dessa tecnologia, é possível introduzir o melhoramento genético de plantas e produzir insumos como fertilizantes.

  • Exemplos de biotechs no Brasil: Meltech, R-CRIO, Mancha Orgânica
  • Exemplos de biotechs internacionais: Strata Oncology, TMRW Life Sciences, DNA Script

O que é indtech?

Popularmente conhecidas como “fábricas inteligentes”, as indtechs desenvolvem soluções digitais que contribuem para o desenvolvimento da indústria, como energia, mineração, construção, etc.

Utilizando tecnologia,  transforma fábricas tradicionais nas chamadas fábricas inteligentes, instaurando processos mais eficientes e automatizando fluxos da linha de produção.

Os armazéns da Amazon, por exemplo, utilizam robôs autônomos, para localizar e transportar mercadorias dentro dos centros de distribuição, estabelecendo uma logística mais eficiente. E vale destacar, que trabalham alinhados com os colaboradores, que finalizam os pacotes. Essa ação otimiza a eficiência em 20%.

robô do armazem da amazon, transportando mercadorias
(Protótipo de painéis de iluminação OLED da empresa Lumiotec. Os displays OLED ou led orgânicos, possuem imagens mais brilhantes e consumo reduzido de energia, e foram criados com a ajuda da nanotecnologia)
(Créditos: divulgação)
  • Exemplos de indtechs no Brasil: Scoreplan 
  • Exemplos de indtechs internacionais: Everguard, Conwo

O que é regtech?

As “soluções reguladoras” visam facilitar o cumprimento de diversas exigências consideradas obrigatórias, ou seja, normas e leis que legitimam determinadas atividades. Só no Brasil, existem 8 órgãos que são responsáveis pela regularização de fintechs, o que equivale a uma grande oportunidade de atuação.

Nesse sentido, as regtechs desenvolvem tecnologias com o objetivo de otimizar esses processos regulatórios, como gerenciamento de riscos e dados, por exemplo. Atuando com velocidade, agilidade e automação para facilitar processos e reunir informações relevantes para relatórios, integra e analisa esses dados de maneira fácil e potencializando a eficiência.

  • Exemplos de regtechs no Brasil: IDWall, OriginalMy
  • Exemplos de regtechs internacionais: Cavelo, Prometics, HelloFlow

Tech startups ajudam a acelerar a transformação digital

Como podemos acompanhar ao longo de todo esse conteúdo, as tech startups estão desenvolvendo soluções em diversas indústrias, expandindo o ecossistema de inovação mesmo em campos que outrora eram dominados por práticas consideradas mais tradicionais. 

Impulsionando uma mentalidade baseada sobretudo na tecnologia e na inovação, as startups techs, aceleram a transformação digital em diversos segmentos, um movimento imprescindível para que o mercado continue aquecido. 

Agora que soluções “tech” estão emergindo como nunca antes, a tendência é que seja cada vez mais essencial, e enquanto empreendedor, se atentar à novas tecnologias que impactam diretamente o relacionamento com os consumidores, a forma de vender, e como desenhar produtos e serviços que sejam relevantes para a persona.

Apesar das perspectivas animadoras, começar uma startup do jeito certo é a melhor opção. Se finalmente quer tirar suas ideias do papel ou aprender as técnicas para escalar o seu negócio, o G4 Startups do G4 Educação, é para você.

Em suma, se você deseja começar um novo negócio ou já empreende mas quer alcançar melhores resultados, estar alinhado com a inovação, olhando para o futuro e melhorando o presente de maneira consistente, construindo resultados a médio e longo prazo, atendendo a necessidades atuais e antecipando as que ainda estão por vir.

New call-to-action

Glossário do Empreendedor

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W Y X Z
Banner G4 for Business 01