Últimas Novidades

Sobre Fazedores E Gestores

São 23:37 de uma segunda-feira, logo após o aniversário da minha noiva e futura esposa, e escrevo esse texto enquanto reviso os números de um dia não tão bom quanto gostaria e bebo uma lata de coca-zero.

Mas esse não é um texto para reclamar de números, ou falar sobre refrigerantes, e sim um texto sobre organização de tempo.

Hoje, ou no caso ontem para você que está lendo, não foi um dia produtivo, e em meio a isso me lembrei de um texto escrito pelo Paul Graham com o título “Maker’s Schedule, Manager’s Schedule”.

De forma bem resumida, o texto fala sobre diferentes formas de organizarmos o tempo.

A primeira delas seria o chamado “Manager’s Schedule” ou “Calendário do Gestor”. Nesse modelo o seu dia é dividido em blocos de cerca de uma hora cada.

Já no segundo modo, o “Maker’s Schedule” ou “Calendário dos fazedores” as coisas são bem diferentes. O dia não é mais dividido em pequenos blocos de uma hora cada, mas sim em grandes blocos dedicados ao trabalho focado e consistente.

Até aí parece que está tudo bem, mas a verdade é que quando refleti sobre o dia com resultados não tão bons, me lembrei de uma infinidade de outros dias no passado em que senti que não consegui ser tão produtivo quanto gostaria e percebi que eles tinham uma coisa em comum: a forma como dividi meu tempo.

A verdade é que eu -e talvez também você- possuo uma grande dificuldade de ser produtivo quando meu dia é dividido em vários pequenos blocos de tempo, onde em cada um deles estou fazendo algo diferente.

Sempre que isso acontece, sinto que apesar de fazer muitas coisas, como esperado de um gestor, eu não estou conseguindo produzir nada de tão significativo.

Quando analisamos friamente, notamos que mesmo uma pequena pausa, para uma reunião rápida de trinta minutos durante o estado de flow obtido em momento de trabalho focado, possui uma gigantesca capacidade de impactar toda a sua produtividade.

Nesse sentido o calendário cheio de atividades ao longo do dia, com diversas reuniões e horários em pequenos blocos de tempo para cada atividade, pode até parecer algo mais próximo do desejado e até esperado de um gestor.
Mas no exato momento em que você avalia o que é preciso para realmente entregar resultados significativos, na esmagadora maioria das vezes o seu calendário deveria se parecer muito mais com o de pessoas como o Naval Ravikant ou Warren Buffett.

Ambos buscam sempre deixar suas agendas o mais vazias possíveis, não por não quererem fazer nada, mas sim por quererem ter tempo para o que realmente importa.

Voltando então ao motivo de escrever esse texto, tudo se resume a uma reflexão simples. Talvez, você se sinta como me senti hoje com uma certa regularidade, e se esse for o caso, gostaria de lhe propor um experimento: tente adotar um calendário de fazedores.

Reorganize seu calendário para que seu dia não seja mais dividido em pequenos blocos de uma hora cada, mas sim, em grandes blocos de tempo, talvez em períodos de 3 ou 4 horas, ou simplesmente, manhã e tarde, sendo cada um desses blocos focado em produzir algo realmente valioso.

Se não nessa semana, na próxima, se não todos os dias, em alguns dias da semana, mas tente, e depois me conte os resultados que conseguiu!