Artigos, Conteúdos em Destaque

Sheryl Sandberg deixa cargo de COO da Meta


Sheryl Sandberg ao lado de Mark Zuckerberg. A ex-COO deixou a Meta em junho de 2022.

Após mais de 14 anos, chega ao fim o legado da número 2 de Zuckerberg na companhia, que deve se dedicar à filantropia women-based.

Sheryl Sandberg, uma das pessoas centrais por trás da Meta e que estava no cargo de COO (Chief Operating Officer) desde 2008, anunciou sua saída da empresa no início do mês. A diretora agora irá se afastar de suas atividades corporativas para focar em ações filantrópicas e em sua fundação, mantendo-se apenas no conselho da empresa.

Raramente vemos pessoas que não são fundadores ou CEOs e que mesmo assim são tão importantes para a organização quanto Sandberg foi dentro da Meta. Sua atuação era bem mais ampla que a demandada pelo cargo, sendo um elemento chave e uma das responsáveis pelo sucesso da big tech.

Por curiosidade, apenas o anúncio de sua saída já acarretou em uma queda de 4% nas ações da companhia.

O próprio Mark Zuckerberg já afirmou que Sandberg o ensinou a administrar uma empresa. Os dois possuem uma diferença de 15 anos de idade, além de que a gestora já era uma veterana no Google antes de ingressar no então Facebook.

À época, ela foi responsável por fazer que uma rede social baseada em advertising se transformasse em uma máquina de receita e de usuários, além da criação de um ecossistema de interações sociais, com Instagram, WhatsApp e Messenger, por exemplo.

No entanto, a saída da diretora ocorreu em um período de instabilidade da empresa, que vem sofrendo com a questão da privacidade no iOS, o que desacelerou sua receita, majoritariamente baseada em publicidade.

Outro ponto que acarretou em tal situação é o maior domínio de mercado por concorrentes como o TikTok, que vem alcançando números impressionantes, inclusive obtendo maior tempo de tela que as plataformas da Meta.

Leia também: TikTok Ads: receita de publicidade do TikTok deve alcançar a do YouTube em 2024

Quem é Sheryl Sandberg?

A executiva, bilionária e filantropa Sheryl Sandberg graduou-se em 1991 em economia em Harvard, onde também fez seu MBA. Ela iniciou sua carreira na área de consultoria dentro da McKinsey & Company. 

Logo após, Sandberg trabalhou em um departamento do tesouro americano e, após quase 7 anos, ingressou no Google, onde passou cerca de 6 anos como VP de Vendas Online e Operações e fez com que a equipe de Ads e Vendas crescesse de 4 para 4.000 pessoas.

Além disso, Sheryl colecionou nomeações. Ela foi listada diversas vezes nos rankings de mulheres mais influentes da Fortune Magazine, Forbes e também da revista Time.

Além disso, a magnata ainda escreveu dois best-sellers: Lean In: Women, Work, and the Will to Lead (Faça Acontecer: Mulheres, Trabalho e a Vontade de Liderar); e Option B: Facing Adversity, Building Resilience, and Finding Joy (Plano B: Como Encarar Adversidades, Desenvolver Resiliência e Encontrar Felicidade).

Porém, mesmo com tantos pontos de destaque, sua carreira alavancou-se ainda mais dentro da Meta.

Leia também: Meta Summit Latam 2022: Insights do G4 Educação

Quando Sheryl começou a trabalhar na Meta?

Muito do que a Meta é hoje se deve a Sandberg. Assim que entrou na empresa, ela buscou estratégias para fazer com que o Facebook se tornasse lucrativo, então, graças aos Ads na plataforma, a empresa realmente se tornou lucrativa.

A gestora ainda supervisionara diversas áreas da companhia, como vendas, marketing, business development, recursos humanos, políticas públicas e comunicações e, em 2012, tornou-se a primeira mulher a estar no quadro de diretores da companhia.

Em 2014, no período de IPO do Facebook, a diretora vendeu quase metade de suas ações da companhia, que hoje contém quase 17,2 milhões de ações.

Linha do tempo de Sheryl Sandberg, mostrando momentos importantes de sua trajetória, como o IPO do Facebook e sua entrada ao board da empresa (2012), o ano em que se tornou bilionária (2014) e o escândalo da Cambridge Analytica (2018), comparado ao crescimento da receita do Facebook ao longo dos anos.
Na imagem: gráfico mostrando uma linha do tempo de Sheryl Sandberg, com momentos importantes de sua trajetória comparados ao aumento de receita do Facebook ao longo dos anos.
Créditos: CNBC, com dados retirados dos reports do Facebook

Entretanto, a passagem de Sheryl pela Meta também teve controvérsias, já que ela acabou se envolvendo em algumas polêmicas.

A mais relevante foi acerca do escândalo de dados Facebook-Cambridge Analytica, que envolveu a coleta de informações e dados de cerca de 87 milhões de usuários do Facebook, que incitou as discussões por normas éticas pelas plataformas de redes sociais. 

Entretanto, o papel de Sheryl foi importante para que a empresa conseguisse se reerguer. Ela se manteve atuante e um dos “rostos” à frente da companhia na época, até perpassando o papel original do COO.

Apesar de seu legado ter sofrido alguns golpes, isso contribuiu para que a gestora tivesse uma imagem de “braço direito” da companhia, sendo vista como inspiração e com bons olhos dentro da Meta.

Saiba Mais: Metaverso: o que é e qual a sua importância? 

O que Sheryl Sandberg fará daqui em diante?

Nos últimos anos, Sandberg aos poucos acabou liquidando suas ações da empresa, vendendo um valor de quase US$ 1,7 bilhão em ações da Meta ao longo da última década.

Agora, a executiva deve se dedicar à filantropia e aos direitos das mulheres, mais especificamente através de sua própria fundação, a Sheryl Sandberg & Dave Goldberg Family Foundation.

“Este é um momento muito importante para as mulheres. Este é um momento muito importante para mim de forma a ser capaz de fazer mais filantropia, com a minha fundação.”

Sua fundação atua através de duas frentes: a LeanIn.org, que visa empoderar mulheres para atingir suas ambições, e a OptionB.Org, que ajuda pessoas a criarem resiliência através de suas adversidades, como pessoas que passaram por situações de abuso sexual. As empresas possuem o mesmo nome de suas duas obras publicadas.

A gestora ainda é sócia do The Giving Pledge, clube de bilionários que estão dispostos a doar parte de suas fortunas.

Sheryl foi um dos maiores nomes da Meta e do mundo da tecnologia, contribuindo muito para o sucesso de uma das maiores empresas da atualidade, deixando seu nome eternizado na história dos negócios como um todo.

Se você deseja entender quais alavancas pode ativar para acelerar o crescimento do seu negócio, bem como aprender como desenvolver novos canais de venda e melhorar o resultado das suas campanhas de marketing, conheça a Imersão de Growth do G4 Educação e aprenda estratégias usadas pelo Google, Uber, Amazon e pela própria Meta.

Glossário do Empreendedor

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W Y X Z
Banner G4 for Business 01