Artigos, Gestão

5 práticas de gestão para otimizar seu dia a dia


Para serem eficazes, empresas precisam de gestores que saibam, exatamente, como extrair o melhor da sua posição de liderança. Pensando nisso, listamos algumas das melhores práticas de gestão para você aplicar no seu negócio.

A palavra gestão, de etimologia latina (gestio, onis), remete ao sentido de “liderar com as mãos”. Por isso, as melhores práticas de gestão empresarial dizem respeito à indicação de um caminho de trabalho eficiente e produtivo através do exemplo.

Em outras palavras, um bom gestor dirige e organiza pessoas para garantir o melhor resultado possível em qualquer campo.

Para começo de discussão, é interessante entender a matéria não como o que você faz a alguém, mas o que você fornece para alguém. 

Gino Wickman e René Boer no livro “How to be a great boss” resumem a aplicação desse conceito em 5 práticas básicas que, em sendo executadas com sucesso, produzem uma gestão e uma liderança realmente efetivas.

(Na imagem: capa do livro How to be a Great Boss, de Gino Wickman and René Boer)

A empresa Hypercontext, nesse mesmo sentido, realizou uma pesquisa com gestores para demonstrar quais são os principais desafios da função. Segundo o estudo, 37% dos gestores ouvidos disseram que manter o time focado para atingir os objetivos da companhia é o seu compromisso mais importante. 

Essa influência e sinergia entre gestor e colaboradores é tão grande que, de acordo com a Gallup, depois de estudar mais de um milhão de profissionais, espalhados por 100.000 organizações no mundo, as variações nos níveis de desenvolvimento da equipe podem ser atribuídas a quem exerce a gestão, em decorrência do seu enorme impacto no engajamento e retenção dos funcionários. Segundo o levantamento:

Os gestores – mais do que qualquer outro fator – influenciam o engajamento e o desempenho da equipe. Isso não é exagero: 70% da variação no engajamento da equipe é determinada exclusivamente pelo seu gestor.

Gallup | Relatório “The Clifton Strengths for Managers”

Portanto, a falta de maturidade e expertise na gestão empresarial acaba, então, tornando-se um grande entrave para o crescimento. 

Dessa forma, para que a sua empresa continue performando numa linha de evolução consistente e sustentável, é preciso dominar práticas de gestão que evitem possíveis gargalos.

Eleve o nível de excelência do seu negócio

Saber o que é gestão é imprescindível para a sobrevivência de um negócio, bem como saber as metodologias que melhor se encaixam à sua realidade (aqui no G4, por exemplo, o modelo adotado é o de gestão libertária).

Em uma sociedade cada vez mais competitiva e guiada por dados, acompanhar as métricas faz toda a diferença para o crescimento e o fortalecimento do horizonte organizacional.

Não é por acaso que estamos caminhando para um novo formato de gestão, conhecido como Gestão 4.0, derivado da transformação digital e da digitalização do mundo, em que é imperativo saber convergir velocidade e agilidade em assertividade e eficiência.

Amazon, Apple, Facebook e Google são só alguns dos exemplos de corporações que aplicam práticas relacionadas a esse tipo de gestão.

Seja como for, o grande objetivo de uma gestão bem executada é fazer com que seu time aja sem que se sintam, necessariamente, gerenciados. 

Nas palavras de Jim Collins, em sua obra “Good to Great”, no momento em que você sente que precisa gerenciar alguém, você cometeu um erro de contratação.

Por conseguinte, a disruptura provocada pelo momento, é uma oportunidade rara para que seja recriado o futuro do trabalho com uma nova mentalidade, capaz de otimizar e capitalizar as capacidades humanas. 

(Na imagem: relatório “Tendências globais de capital humano”)
(Crédito: Deloitte)

Para se manter competitivo em um cenário, como o pandêmico, a pesquisa “Tendências globais de capital humano”, realizada pela Deloitte, revelou que executivos estão mudando as suas prioridades.

Finalmente, gestão e estratégia estão sendo reconhecidas como fundamentais para prosperar em um futuro tão incerto e desconhecido como o nosso, sendo o papel do gestor decisivo à frente do trabalho e da força de trabalho da organização.

Dito isto, é hora de listarmos as cinco melhores práticas de gestão empresarial para que você incorpore à rotina do seu empreendimento e entregue muito mais valor ao seu negócio. 

#01 – Mantenha as expectativas claras

Definir expectativas com clareza é essencial para que seus colaboradores saibam, exatamente, o papel que cada um deve desempenhar na equipe.

No entanto, essa prática só funciona se for uma via de mão dupla.

Assim como a sua equipe precisa entender suas expectativas em relação a eles, você também deve entender as expectativas deles em relação a você. 

Por isso, algumas áreas precisam estar sempre bem alinhadas, como as regras e os valores da organização, bem como as metas/objetivos/prioridades dos próximos dias com as variáveis envolvidas no processo (métricas e indicadores de performance). 

Quando você consegue manter as expectativas com clareza e direcionamento, raramente é preciso dispensar alguém por não se reconhecer nelas. 

Geralmente, o que acontece, na verdade, é que algumas pessoas saem por entenderem que não são capazes de correspondê-las – o que é uma abordagem muito mais saudável e justa para o seu negócio.

Para exemplificar, Paul Ruby, gerente-geral do hotel Herrington Inn, em Illinois, mantém as suas expectativas claras com o seu time por meio de um manual que intitulou “The Herrington Ruler – Creating Guests For Life”. 

A ideia é que, uma vez que você sabe o que esperar da sua equipe, peça que eles também digam, em contrapartida, o que esperam de você para que as tarefas sejam realizadas da melhor maneira possível.

#02 – Domine a arte de se comunicar bem

Se as expectativas já estão cristalinas, a comunicação agora é imprescindível.

Considere a troca de informação como uma oportunidade ímpar para garantir que todos estejam em sincronia.

Não dê espaços para as entrelinhas. Na dúvida, pergunte. Tentar descobrir o que está na mente de outra pessoa é algo extremamente contraproducente para o seu negócio.

Como sugestão, elencamos 4 técnicas para evitar suposições e garantir um diálogo sem ruídos:

a) Técnica das “duas emoções” 

Quando estiver inseguro sobre o que outra pessoa está pensando ou sentindo, pergunte: “se você pudesse compartilhar duas emoções sobre os seus sentimentos agora, uma negativa e uma positiva, quais seriam? Você me diz as suas e eu te digo as minhas”.

Essa simples pergunta é uma excelente estratégia para iniciar uma conversa e descobrir, exatamente, o que está incomodando. 

Mas, é claro, seja honesto com as suas emoções para que se construa um relacionamento sincero entre vocês. 

b) Pergunte mais, afirme menos (80/20)

Se você é do tipo de gestor que tem o hábito de assumir a maior parte da fala nas conversas, esse comportamento precisa ser modificado.

Garanta que o diálogo seja 80/20. Ou seja, o seu colaborador tem 80% do poder de fala e você apenas 20%. Para isso acontecer, pergunte mais e faça menos afirmações.

Não aponte o que precisa ser feito, problematize para que ele próprio vislumbre as alternativas possíveis e tenha autonomia para tomar a melhor decisão (soft skill tão necessária e valorizada no mercado).

c) Técnica do “eco”

Quando você estiver em uma situação de dúvida sobre se a sua orientação/direcionamento foi bem assimilada pela equipe, faça a eles a seguinte pergunta: “Só para garantir que vocês entenderam o que eu quis dizer, vocês poderiam repetir o que foi dito?”. 

Não fique surpreso ou decepcionado com as respostas, porque grande parte das vezes a mensagem não chega com clareza na primeira tentativa.

A partir daí, aproveite o eco recebido para garantir que todos estejam na mesma página. 

d) Evite o “batuque”

Sabe aquela sensação de estar tocando uma canção com batucadas na mesa, mas ninguém mais, além de você, conseguir identificar de qual música se tratava?

Esse é o mal-entendido que não pode ocorrer dentro das suas equipes. A melodia tocada precisa ser a mesma sentida para todos.

Para isso, evite presumir que a mensagem está chegando clara no seu ouvinte. Questione sempre. 

Ser um comunicador mais eficiente requer esclarecer os pontos daquilo que foi dito.

Por fim, reflita sobre cada uma dessas técnicas e analise se você já as utiliza no seu dia a dia. Se não, que tal aplicá-las a partir de agora?

#03 – Mantenha o ritmo nas reuniões

É seu papel definir o ritmo das reuniões e essa é uma das melhores maneiras de alavancar o poder da sua comunicação. 

Muitas são as possibilidades de encontro para alinhar os projetos com a equipe: all hands meeting, one on one, kick-off meeting etc.

Será que você tem adotado a melhor estratégia para cada momento? Observe a seguinte imagem:

(Na imagem: diagrama 15)
(Crédito: “How to be a great leader”, p. 93)

Considere cada diagrama como uma relação possível entre você e a sua equipe. Sua missão, como gestor, é manter os círculos sempre conectados, mas da forma certa.

No 1º exemplo, temos a representação de um gestor que não é capaz de criar uma atmosfera de engajamento com o seu colaborador. Ambos estão desconectados entre si em um cenário que provoca retrabalho e muitos desentendimentos.

No 2º exemplo, temos uma relação improdutiva, em que o gestor sufoca a equipe. Você está microgerenciando todos os detalhes sem dar espaço para que demonstrem as suas próprias capacidades. Dessa forma, uma hora eles se frustrarão ou criarão uma dependência nociva em relação ao seu papel de liderança.

No 3º exemplo temos o quadro ideal – com a interjeição nos pontos essenciais, mas sem conter ou reprimir o colaborador. Para isso, estabelecer uma rotina de reuniões periódicas é extremamente profícuo no acompanhamento da execução de tarefas. 

#04 – Tenha conversas trimestrais

As práticas de gestão para serem eficazes demandam que o relacionamento construído seja alimentado. 

Para além das rotinas periódicas com o seu time, é imprescindível estabelecer momentos individualizados para saber o que está funcionando e o que deve ser melhorado.

A intenção não é realizar uma avaliação de desempenho e nem uma reunião de one on one (em que se foca em questões imediatas).

Para melhor conduzir esses momentos, o seu foco deve estar nestas 3 áreas: valores, regras ou objetivos. Portanto, conversem sobre o que está dando certo e o que não está.

Como gestor, o primeiro passo deve ser seu para abrir a possibilidade de discussão e evitar que os relacionamentos comecem a se desgastar e as metas não sejam atingidas.

Atente-se para que essa conversa seja realizada fora do local de serviço e em um ambiente em que vocês não sejam interrompidos. 

Então, reflita: será que você tem, realmente, tido esses momentos de intimidade e interação com os seus colaboradores? 

#05 – Recompensar e reconhecer

Os melhores gestores têm a capacidade de recompensar e reconhecer a sua equipe com presteza.

Sabe como isso afeta a sua empresa? 

Segundo levantamento da Gallup, organizações com alto envolvimento dos funcionários foram mais resilientes e capazes de enfrentar os muitos desafios que vieram nos últimos anos, como a pandemia, o colapso econômico e a agitação social. 

Mais que isso, o estudo mostra que dobrar o engajamento muda a produtividade e o bem-estar. E, claro, ainda que o dinheiro não seja a parte importante da vida de seus colaboradores, a contraprestação pecuniária precisa ser justa.

Portanto, não subestime o poder do ato de reconhecer e implemente no dia a dia com algumas sugestões bem simples:

a) A regra das 24 horas

Sempre dê um feedback, positivo ou negativo, de forma rápida. O ideal é que seja em até 24 horas do fato que gerou a necessidade de reação. 

A demora em dar um retorno para a sua equipe faz com que o efeito desse gesto seja reduzido com o passar das horas. 

b) Reconhecimento público e privado

Na hora do feedback, atente-se à seguinte frase do professor Mário Sérgio Cortella: 

“Elogie em público e corrija em particular. Um sábio orienta sem ofender e ensina sem humilhar”.

Apesar de parecer um conselho singelo, ele é capaz de evitar que a crítica aberta destrua a autoestima do seu colaborador e diminua o grau de confiança existente entre vocês. 

Mais que isso, também impede que elogios no ambiente privado sejam esquecidos e não celebrados por toda a equipe.

c) Chefe x Amigo

É essencial que você assuma sempre o papel de “chefe” do time e não de amigo. 

Ainda que seja importante manter uma relação amistosa com cada colaborador, você precisa entender a linha tênue que existe entre esses dois papéis.

Se você cruza essa linha, jamais será um bom gestor, porque a visão do amigo tende a embaraçar o seu julgamento e dificultar que se consiga extrair o melhor de cada pessoa. 

A importância da gestão empresarial para o sucesso da sua empresa

Quem é dono do próprio negócio sabe que empreender traz muitos desafios no dia a dia. É preciso estar atento aos detalhes de todas as áreas da empresa e isso só é possível com uma boa gestão.

Segundo o relatório “Causa Mortis” realizado pelo SEBRAE, o descaso com a gestão empresarial foi considerada um dos principais fatores que levam ao fechamento de empreendimentos no nosso país. 

Sem a aplicação de práticas de gestão eficientes, é muito difícil melhorar o desempenho da sua empresa e fazê-la caminhar para longe dessa estatística.

Por isso, como explicitado neste artigo, a finalidade básica de um bom gestor em uma organização é dizer claramente às pessoas o que elas têm que fazer e quando e oferecer os recursos necessários para que elas possam e façam.

Nesse sentido, para te ajudar com as melhores práticas de gestão, existem diversas ferramentas disponíveis no mercado, como as seguintes:

Sendo assim, se você deseja ir mais além em suas práticas de gestão, conheça a Gestão 4.0 Imersão e Mentoria para Empreendedores e aprenda a usar as principais estratégias, ferramentas e frameworks de Gestão, Vendas e Growth criados pelas maiores empresas do mundo no seu negócio!

New call-to-action

Glossário do Empreendedor

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W Y X Z
Banner G4 for Business 01
Banner G4