Tudo sobre Gestão 4.0

Liderança: o que é, técnicas e como ser um ótimo líder

Ter um perfil de liderança vai muito além do cargo ou posição ocupada na empresa, e empenhar-se em ser um bom líder é um passo importante para conquistar os melhores resultados.

O que é liderança? Aí está uma pergunta muito importante, tanto para os líderes quanto para os liderados, pois a forma com a qual a liderança é demonstrada em uma empresa está diretamente relacionada com a conquista das metas e objetivos para curto, médio e longo prazo.

De fato, em determinados momentos da vida, é normal tornar-se líder de algo, quer por sua habilidade ou pela posição ocupada, seja o líder de uma família, de um grupo na faculdade ou o síndico de um condomínio. Embora os cenários sejam totalmente diferentes, a capacidade de liderança é igualmente importante.

Falando sobre a parte corporativa, o desenvolvimento da liderança, inclusive, é algo que não deve se aplicar apenas a profissionais C-Level e gestores, como mostra um estudo do Brandon Hall Group.

De acordo com ele, 83% das empresas entrevistadas acreditam ser importante melhorar as habilidades de liderança em todos os níveis da organização.

A realidade, porém, ainda está aquém disso. Entre os 83% de empresas que acreditam nisso, apenas 5% começaram a aplicar ou já aplicaram alguma estratégia para melhorar as habilidades de liderança na empresa.

Isso é algo que nem sempre passa pelo planejamento de uma empresa, independentemente de qual seja seu porte ou segmento, mas que deveria ser uma prática mais comum. Afinal, não é raro que as posições gerenciais sejam assumidas pelos próprios colaboradores da equipe.

Há que se ressaltar também o grande impacto que a liderança causa em toda a empresa, que idealmente deve ser positivo. Porém, estatísticas também não faltam para comprovar como um perfil de liderança inadequado pode ser prejudicial às empresas. Veja só:

  • 57% dos colaboradores entrevistados já saíram de algum emprego devido a seus gerentes, ao passo que 14% já saíram de vários empregos por este motivo. Além disso, 32% já consideraram seriamente deixar o emprego por conta de seus gerentes. (Fonte: DDI)
  • 76% dos respondentes de uma pesquisa feita nos Estados Unidos afirmaram que têm ou já tiveram um chefe tóxico. (Fonte: Monster)
  • Em uma pesquisa feita com 1.000 colaboradores, 91% afirmaram que a boa comunicação é uma habilidade crítica que falta em seus líderes. (Fonte: Interact/Harris Poll)

Ficou claro aqui como uma boa liderança pode ser bastante frutífera em qualquer negócio mas que, por outro lado, uma liderança deficitária tem grandes chances de causar sérios problemas, os quais, por sua vez, podem afetar toda a organização, da produtividade dos colaboradores ao seu faturamento.

Nos acompanhe na leitura para aprender mais sobre o que o Gestão 4.0 considera ser um bom perfil de liderança (que, inclusive, é aplicado internamente na empresa), com conselhos práticos e acionáveis que também podem ser colocados em prática em seu negócio.

Qual é o papel de um líder?

Essa é uma pergunta bastante comum, já que o papel do líder ajuda a definir como deve ser sua conduta perante a relação com seus liderados. Porém, não existe uma resposta definitiva para isso, já que ela pode variar de acordo com uma série de variáveis, como as seguintes:

  • O tamanho da empresa;
  • A equipe de trabalho;
  • Os desafios encarados no dia a dia, entre outros.

Ainda assim, é possível destacar alguns dos principais papéis entre os diferentes líderes, que são os seguintes:

#1 – Refletir sobre o seu papel

Podemos definir que o primeiro papel do líder é saber refletir sobre qual é o papel do líder em cada um dos momentos da sua vida, pergunta esta que deve ser revisitada constantemente.

Uma dificuldade que a empresa tinha em seu início pode não existir mais quando ela amadurece. Da mesma forma, novos problemas devem surgir com o crescimento daquele negócio.

Com a devida reflexão, ele entenderá a forma que deve agir de acordo com a atual situação da organização.

#2 – Definir a cultura organizacional

Um líder é responsável pelo desenvolvimento da cultura organizacional dentro do seu time. De maneira simples, podemos dizer que a cultura é o que as pessoas fazem quando ninguém está olhando.

Um exemplo claro é quando alguém do time de vendas recebe uma resposta agressiva do cliente. O tom de sua resposta dependerá de como foi estabelecida a cultura daquela empresa – neste caso, em especial, o ideal é que seja uma resposta branda, tranquila e respeitosa, refletindo a imagem que a empresa deseja passar.

Por isso, é fundamental construir uma cultura em que as coisas acontecem de acordo com o que tiver sido definido mesmo em situações cotidianas, sem a presença do CEO, de outro gestor ou mesmo de outro colega de equipe.

A definição da cultura é uma grande responsabilidade, pois ela influenciará de maneira positiva ou negativa quem está ao seu redor.

Leia também: 5 lições de cultura empresarial com David Vélez, fundador do Nubank

#3 – Ter uma boa comunicação

Os líderes são responsáveis por construir uma visão muito clara para o seu time. Afinal, a equipe deve saber constantemente onde a empresa está naquele momento e onde ela deseja chegar no futuro.

Caso uma única pessoa esteja remando em um sentido diferente do que o time está indo, isso tende a se transformar em um grande problema, já que afetará a produtividade da equipe e, por consequência, a qualidade de seus resultados.

Cabe aqui trazer destaque para a comunicação entre pares, ou seja, entre os gerentes e os gestores de uma mesma área, o que permite um bom alinhamento e direcionamento para, assim, conseguir orientar toda a equipe rumo ao destino desejado.

Neste sentido, uma ferramenta valiosa é a reunião One on One, conversas individuais regulares entre o gestor e seus colaboradores para alinhar as expectativas e se conectar ainda mais com cada um deles.

Com uma boa comunicação, todos saberão para onde devem remar, o que maximiza o potencial de cada colaborador e de toda a equipe rumo aos seus objetivos, sejam os de curto prazo ou aqueles mais distantes, como a North Star Metric.

#4 – Trazer pessoas incríveis para a equipe

Também é papel do líder encontrar pessoas fantásticas, diversas e que estejam alinhadas à cultura da empresa. Se todos contratarem da mesma maneira, as chances de que os colaboradores tenham um ótimo fit com o perfil da companhia serão muito maiores.

Além da contratação, também é importante desenvolver e estimular os novos contratados, encontrando um ponto comum entre os sonhos da empresa e os de cada colaborador.

Este, de fato, é um grande desafio: saber qual é o sonho de cada colaborador que trabalha com ele, sem misturar com os sonhos de outras pessoas. Assim, o líder poderá ajudá-los a realizar cada um deles para que o estímulo seja o mais funcional possível.

Leia também: O que é gestão estratégica de pessoas? Conquiste alto desempenho!

#5 – Facilitar o desenvolvimento e a execução de novas estratégias

Nas empresas, é natural que várias coisas aconteçam ao mesmo tempo. São muitos problemas, projetos, conflitos e desafios que fazem parte do dia a dia dos líderes e de suas equipes.

Para conseguir lidar com tudo isso, é fundamental uma ótima organização, além da manutenção de um ritmo de entrega, ou seja: a partir do momento que tiver todas essas questões citadas até aqui, o nível do líder já terá subido, o que é excelente.

Para mais informações, você pode acessar nosso artigo sobre as competências de um líder, onde há outras informações bastante valiosas para saber o que um líder deve, de fato, demonstrar em seu dia a dia.

O que um bom líder não deve fazer?

Da mesma forma que há um bom perfil de liderança a ser seguido, também há atitudes e comportamentos que não devem ser colocados em prática por aqueles que desejam ser reconhecidos como bons líderes.

Um artigo no site da Inc., de autoria de Caren Merrick, empreendedora e investidora, aborda uma série de conselhos valiosos sobre o que não deve ser seguido por líderes mulheres, mas que se aplica também aos homens. Veja só:

  1. Liderar os outros antes de liderar a si próprio. Líderes de sucesso sabem que o primeiro passo é entender o que motiva seus colaboradores, o que eles amam e quais são suas forças e fraquezas.
  2. Acreditar que já sabe de tudo. Fazer perguntas e buscar conselhos deve ser um hábito. Líderes bem-sucedidos entendem que quanto maior for o número de conselheiros, maior também tende a ser a sabedoria concentrada naquele local.
  3. Negligenciar o fato de ter um mentor externo. Independentemente de qual seja o nível da carreira do profissional, os mais bem-sucedidos geralmente procuram por bons mentores. Eles entendem que não conseguem atingir seu pleno potencial sozinhos e, por isso, procuram por conselhos de quem entende bastante sobre os assuntos.
  4. Esquecer de priorizar a saúde física, mental e espiritual. Como sabem que se espera muito deles e que eles conseguem entregar mais e melhor quando estão saudáveis nessas três áreas, bons líderes colocam a recarga de suas energias como prioridade, geralmente com uma rotina matinal que inclua uma, duas ou todas as áreas citadas, além de ter uma boa gestão de tempo para o restante do dia.
  5. Definir que o sucesso só está no trabalho e na equipe. Líderes de sucesso sabem que eles e suas equipes prosperam mais quando investem em algo maior que si próprios. É claro que eles querem que seus negócios sejam bem-sucedidos e gerem muito lucro, mas enxergam isso como parte de um objetivo maior para agregar valor e resolver problemas.
  6. Evitar demonstrar gratidão. Bons líderes tratam a todos com respeito e reconhecem suas contribuições, do CEO de uma empresa aos membros da equipe, de fornecedores e prestadores de serviço ao motorista de Uber ou ao entregador do Rappi.
  7. Apegar-se à raiva ou ressentimento. Líderes de sucesso não negam quando são decepcionados: eles sentem a dor e buscam por formas de resolver as diferenças. O ideal é deixar esse sentimento ir embora e não levar as circunstâncias para o lado pessoal, pois sabem que andar para frente e perdoar é necessário.
  8. Esperar o perfeccionismo de si e de outros. Bons líderes cultivam atitudes positivas e o otimismo, além de possuir elevados padrões, colocar a mão na massa e continuar aprendendo e crescendo. O objetivo é melhorar, escutar e estar conectado com seus clientes e membros da equipe. Além disso, eles sabem que não são perfeitos e aprendem a partir dos erros e contratempos.

Além disso, cabe destacar também a importância de não fazer com que o microgerenciamento seja uma prática dentro da empresa.

Este conceito, que consiste em uma liderança que quer controlar todas as mínimas ações de seus funcionários, pode trazer frustração e prejudicar a produtividade e a satisfação dos colaboradores, além de fazer parecer que seus líderes não confiam plenamente no que está sendo realizado.

Quais são os tipos de liderança?

Mesmo sem que haja um único tipo de liderança ideal, já que há vários fatores envolvidos, como mencionamos anteriormente, há alguns tipos bastante conhecidos.

Em nosso artigo sobre tipos de liderança, temos uma explicação mais aprofundada sobre cada um deles. Porém, em suma, destacam-se os seguintes tipos:

  • Liderança democrática: considera o pensamento da equipe como um todo, a qual assume mais responsabilidades enquanto o líder direciona e facilita os processos.
  • Liderança autocrática: as ideias são concentradas no líder, que atua de maneira autoritária, dando ordens, impondo regras e sem uma boa comunicação. Não costuma ser um bom perfil de liderança.
  • Liderança estratégica: o líder olha para as necessidades da empresa e procura ao mesmo tempo por novas oportunidades de crescimento, de modo a otimizar os resultados para a empresa e o time.
  • Liderança transformacional: o líder atua como um modelo para a equipe, já que a incentiva e capacita para que os resultados sejam os melhores possíveis. O pensamento fora da caixa é bastante estimulado.
  • Liderança transacional: aqui, o líder trabalha à base de recompensas à equipe quando esta atinge suas metas, mas também pode resultar em algum tipo de punição se os resultados não forem atingidos.
  • Liderança estilo coach: avalia as características de cada um do grupo, mostrando quais atividades e ações eles podem executar com maior eficiência. Busca o crescimento e o desenvolvimento de cada colaborador.
  • Liderança burocrática: é uma liderança que se baseia muito em metodologias de livros, por exemplo, mas sem tanta abertura para as opiniões e ideias do grupo.
  • Liderança Laissez-faire: a expressão francesa significa “deixar fazer”, e a ideia se reflete bem no estilo de liderança, que dá autonomia à equipe e permite que ela tome ações sem necessariamente uma autorização expressa do líder.

Como é o líder do futuro?

Os líderes de hoje não são mais como eram os de antigamente. Era comum haver uma relação de “medo” do liderado, já que a figura do líder era de alguém quase inatingível. Porém, a realidade atual é bem diferente.

Atualmente, líderes de sucesso, que são referências em seu segmento, buscaram solucionar grandes desafios e colheram os frutos de seu esforço, como Elon Musk e Mark Zuckerberg, por exemplo.

O estilo que se mostra como muito bem-sucedido hoje é o da liderança descentralizada. Inclusive, uma frase de Jack Welch, memorável gestor da GE, sintetiza bem esta ideia:

“Um líder não é alguém a quem foi dada uma coroa, mas a quem foi dada a responsabilidade de fazer sobressair o melhor que há nos outros.”

Em nosso artigo sobre líder do futuro, destrinchamos com mais profundidade alguns pontos importantes sobre o tema, que, em suma, são os seguintes:

  • Ter autenticidade: gestores excepcionais arriscam e incentivam a inovação. Afinal, às vezes, é preciso sair do planejamento e seguir o que se acredita.
  • Ser acessível: sai de cena a figura do chefe que era quase intocável para entrar em cena aquele líder que é uma pessoa “comum”, próximo de sua equipe e que está onde ela está, dos escritórios aos grupos do Slack.
  • Ter escuta ativa: escutar mais é um exercício importante, não apenas às palavras verbais como também a toda a comunicação, seja em reuniões One on One a conversas cotidianas.
  • Expor vulnerabilidade para gerar empatia: executivos também se deparam com situações que não sabem como resolver. Demonstrar isso abre espaço para gerar empatia e criar conexão com o grupo.
  • Gerar impacto: ao invés da conquista de uma posição de liderança se basear no tradicional QI (Quem Indica), hoje o que pesa mais é o “novo QI” (Qual Impacto é gerado na empresa).
  • Ser criativo: a criatividade permite pensar fora da caixa e destravar a alavanca da autenticidade e da ousadia. É preciso abrir mão do medo de errar para dar espaço a novas tentativas que podem ser bem-sucedidas.
  • Ser orientado por números: mesmo com a criatividade em voga, a racionalidade não pode sair de jogo, já que dados e métricas geram insights valiosos para toda a equipe.
  • Ser transparente: ser transparente é ser fiel e honesto com o seu propósito. Afinal, ela corrobora com a vulnerabilidade, a empatia e outros tão importantes pilares de liderança.
  • Ser protagonista: como já mencionamos anteriormente, o ideal é que todos sejam treinados para adquirir as habilidades de um líder. Conforme os colaboradores evoluem, cabe investir em seu desenvolvimento técnico e comportamental.
  • Ser colaborativo: um bom líder incentiva a colaboração entre toda a equipe. Assim, ao invés de uma liderança centralizadora, constrói-se uma liderança que dá espaço para a autonomia dos colaboradores.
  • Ser comprometido: líderes não fazem o que querem, mas sim o que precisam fazer. Para que sejam figuras exemplares, eles devem ser disciplinados e praticar o que falam.

Confira também: Os 14 princípios de liderança da Amazon

Frases de liderança que inspiram a capacidade de ser líder

Há muitas figuras que servem de inspiração para quem quer entender o que é liderança na prática, já que seus exemplos e resultados conquistados falam por si. Por isso, nós separamos aqui algumas frases sobre liderança que estão alinhadas com o que o Gestão 4.0 pensa sobre o assunto.

“Se o conselho é bom, o exemplo arrasta.”

Rony Meisler, CEO da Reserva

Frase Steve Jobs contratar pessoas inteligentes
Divulgação Gestão 4.0

“Não faz sentido contratar pessoas inteligentes e dizer-lhes o que fazer. Contratamos pessoas inteligentes para que nos digam o que fazer.”

Steve Jobs, co-fundador, presidente e diretor executivo da Apple

“Se as suas ações inspiram outros a sonhar mais, aprender mais, fazer mais e se tornar algo mais, você é um líder.”

John Quincy Adams, estadista, diplomata, advogado e escritor americano que serviu como 6º presidente dos Estados Unidos

“O pessimista reclama do vento. O otimista espera que o vento mude. O líder ajusta as velas da embarcação.”

John Maxwell, autor e conferencista

“O único grande caminho para impactar uma organização é focar no desenvolvimento da liderança. Quase não há limites para o potencial de uma organização que recruta boas pessoas, faz com que elas cresçam como líderes e desenvolve-as continuamente.”

John Maxwell, autor e conferencista

Perfil de liderança: algo que pode (e deve) ser trabalhado em todos

Como vimos no decorrer deste conteúdo, a imagem do líder inacessível e quase incomunicável mudou. Hoje, os maiores e melhores líderes são aqueles que demonstram abertura para com seus liderados – afinal, todos possuem os mesmos objetivos.

Além disso, um destaque importante feito neste artigo é o do desenvolvimento da liderança por todos, não apenas por aqueles que estão em uma posição mais elevada hierarquicamente. Afinal, ser líder é algo importante e até necessário, não apenas no trabalho como também em outros aspectos da vida.

Enquanto a maioria das empresas enxerga a importância de trabalhar as habilidades de liderança com toda a equipe, atualmente apenas a minoria faz isso. Porém, embora demande um investimento de tempo e recursos, é fato que tais esforços são muito benéficos ao negócio.

Ainda que nem todos ocupem, de fato, posições hierárquicas de liderança dentro da equipe, as habilidades de um líder são muito bem-vindas na condução de suas atividades e nas relações interpessoais do cotidiano.

Aqui no Gestão 4.0, o perfil de liderança é fortemente incentivado em toda a equipe. Alguns dos nossos pilares são os seguintes:

  • Ownership: cada indivíduo é responsável por gerenciar suas tarefas e atribuições, recebendo todo o auxílio e orientação dos gestores para a construção dessa autorresponsabilidade.
  • Autonomia: ao entender a importância de sua participação no todo, cada profissional assume a responsabilidade por suas ações, decisões e experiências.
  • Comunicação aberta: com uma estrutura horizontalizada, a comunicação é incentivada entre todos, independentemente de sua posição dentro da equipe ou do tempo de empresa.
  • Alinhamento contínuo: para que todos remem na mesma direção, o alinhamento é constante dentro da equipe, com orientações e indicações sobre o que deve ser feito e como chegar até o objetivo.
  • Indicadores de acompanhamento: instrumentos essenciais para entender melhor como anda o desempenho de cada colaborador e sua participação no todo.

Se você deseja aprender mais sobre o assunto, conheça o Curso de Liderança do Gestão 4.0 e saiba como engajar pessoas e superar desafios por meio da aplicação de técnicas de liderança comprovadas pelos maiores líderes do mundo.