Tudo sobre Gestão 4.0

O que é gestão? Conheça os principais tipos e metodologias

Uma boa gestão é indispensável para que qualquer empresa atinja o sucesso, seja um negócio de família ou uma multinacional.

O QUE É GESTAO

O que é gestão? A pergunta pode parecer simples, especialmente para quem já atua como gestor ou é responsável pela tomada de decisões em seus negócios, mas o conceito é muito mais amplo do que normalmente se consegue definir de imediato.

Uma empresa sem gestão é como um barco sem leme: ainda que ele já esteja no meio do oceano, nada impede que afunde a qualquer momento ou que seja levado pela maré de volta para o local de onde saiu.

Porém, ter uma gestão incompleta ou deficitária não é suficiente, já que isso pode limitar significativamente o controle que os gestores têm sobre aquele negócio. Para atingir o sucesso, a gestão deve ser excelente.

Aprender sobre gestão é crucial, seja você o dono de um pequeno negócio, o colaborador de uma grande empresa que quer assumir uma posição estratégica ali ou alguém interessado em empreender. Caso contrário, atingir o sucesso – e se manter ali, especialmente – será muito difícil.

O que é gestão?

Gestão é um conjunto de princípios relacionados às funções de planejar, organizar, dirigir e controlar uma companhia. De maneira mais prática, ela consiste em trabalhar com os recursos disponíveis da maneira mais eficiente possível para atingir os objetivos esperados com o mínimo de despesas.

Uma boa gestão também contempla a aplicação desses princípios no aproveitamento de recursos físicos, humanos, financeiros e informacionais de maneira eficiente e efetiva para atingir os objetivos da empresa.

o que é gestao

Na literatura, o conceito já foi definido de várias formas, como mostram as seguintes definições de diversos autores:

“Trabalhar com recursos humanos, financeiros e físicos para atingir os objetivos organizacionais ao executar as funções de planejamento, organização, liderança e controle.”

Leon C. Megginson, Donald C. Mosley e Paul H. Pietri Jr.; “Administração: Conceitos e Aplicações

“Gestão é uma arte de saber o que fazer e quando fazer e ver que aquilo foi feito da melhor e mais barata forma possível.”

Frederick W. Taylor; “Princípios de Administração Científica

“Gerenciar é prever e planejar, organizar, comandar, coordenar e controlar.”

Henri Fayol, citado em “Management And Leadership For Nurse Administrators”, de Linda Roussel e Russell C. Swansburg

Sumarizando tudo isso, podemos definir, então, que gestão envolve monitoramento, acompanhamento e orientação para que a empresa chegue do ponto “A” ao ponto “B” da melhor, mais eficiente e mais econômica forma possível.

A gestão através dos tempos

É difícil cravar qual é a origem da gestão. Porém, voltando um pouco na história, encontramos alguns fatores que podem ter contribuído para a concepção de gestão que temos hoje.

Gestão nos tempos antigos

Alguns enxergam a gestão como um conceito pós-moderno. Outros, porém, detectam um pensamento similar à gestão entre os comerciantes sumérios e os construtores das pirâmides do Antigo Egito.

Porém, o que não podemos negar é que uma série de inovações trouxeram ferramentas para gestão, planejamento e controle, como a popularização do sistema numérico hindu-arábico (dos séculos V a XV) e a codificação do Método das Partidas Dobradas (ou Método Veneziano, 1494).

Gestão pós-revoluções industriais

Posteriormente, com as mudanças nos ambientes de trabalho causadas pelas revoluções industriais, nos séculos XVIII e XIX, as teorias e práticas militares contribuíram para abordagens de gestão a serem aplicadas nas fábricas, que passaram a ser tão populares.

Economistas clássicos, como Adam Smith (1723 – 1790) e John Stuart Mill (1806 – 1873), trouxeram um pano de fundo teórico para a alocação de recursos, os processos produtivos e a precificação.

Ao mesmo tempo, inovadores como Eli Whitney (1765 – 1825), James Watt (1736 – 1819) e Matthew Boulton (1728 – 1809), desenvolveram elementos de produção técnica, como padronização, procedimentos de controle de qualidade, contabilidade de custos, intercambialidade de peças e planejamento.

Gestão no século XX

Com a chegada do século XX, a necessidade de gestores habilidosos e treinados tornou-se evidente. Com isso, os departamentos pessoais começaram a expandir rapidamente.

De acordo com o livro “A Delicate Experiment: The Harvard Business School, 1908-1945”, de Jeffrey L. Cruikshank, a educação sobre gestão formal passou a ser um padrão em faculdades e universidades.

Já o artigo “A ‘Good Mixer’: University Placement in Corporate America, 1890–1940”, de Cristina V. Groeger, menciona que as faculdades e universidades aproveitaram a necessidade das empresas para sua capitalização, formando escolas de negócios e departamentos corporativos.

É também a partir daí que surgem alguns dos maiores nomes da gestão a nível global, como Frederick Winslow Taylor (1856 – 1915), Max Weber (1864 – 1920), Peter Drucker (1909 – 2005) e Vicente Falconi (1940 – hoje).

Gestão na atualidade

Todas essas etapas precursoras foram determinantes para o nascimento e o desenvolvimento de outros conceitos e práticas de gestão que temos hoje, as quais precisam ser pensadas especialmente para o mundo VUCA (Volatile, Uncertain, Complex and Ambiguous, ou Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo.)

O termo VUCA foi usado pelo U.S. Army War College, na década de 1990, para se referir ao mundo depois da Guerra Fria. Porém, mesmo com uma origem que não está tão relacionada com o contexto empresarial e empreendedor, sua aplicação faz todo sentido neste cenário.

Com novidades e mudanças que chegam tão rápido, da transformação digital à tecnologia como um todo, é essencial recorrer a modelos mais ágeis para conseguir acompanhar este ritmo.

Quais são as principais metodologias de gestão da atualidade?

Algumas das principais metodologias da atualidade, especialmente no que tange aos modelos ágeis, são as seguintes:

OKR

OKR é a sigla para Objectives and Key Results, o que pode ser traduzido como “Objetivos e Resultados-Chave”.

O objetivo é o que deve ser atingido pela empresa. Ele precisa ser concreto, inspirador e orientado por ações e evita confusões na organização.

Já os resultados-chave estabelecem e monitoram como chegar ao objetivo proposto. Eles precisam ser específicos e ter um limite de tempo, além de serem realistas e mensuráveis.

PDCA

PDCA é uma sigla para Plan, Do, Check e Act (Planeje, Faça, Verifique e Aja). A metodologia também pode ser chamada de Ciclo de Shewhart ou Ciclo de Deming, embora seja menos comum.

Um dos objetivos do PDCA é fazer com que os processos de uma empresa sejam acelerados e aperfeiçoados, já que os problemas passam a ser percebidos com maior facilidade e clareza, bem como os fatores causadores e as possíveis soluções.

Scrum

O Scrum é uma metodologia ágil com estrutura simples que ajuda pessoas, equipes e organizações a gerarem valor por meio de soluções adaptativas para problemas complexos.

Em suma, o Scrum ajuda os times a trabalharem juntos, aprender por meio de suas experiências, organizar-se enquanto resolvem problemas e refletir em suas vitórias e derrotas para melhorar continuamente.

Planejamento e gestão: qual a diferença?

Às vezes, esses dois termos são usados de maneira intercambiável. De fato, ambos são partes de um processo muito importante, que é atingir as metas de longo prazo da organização, mas a verdade é que os significados são distintos.

Planejamento estratégico é a abordagem utilizada quando se está formando a direção de uma organização. Alguns exemplos de sua aplicação são a definição de visão, missão e valores.

A gestão estratégica, por sua vez, é o processo geral percorrido para chegar a essa direção, desde o planejamento até a execução. A gestão dos planos de ação, projetos e ciclo de vida do plano estratégico é fundamental para atingir as prioridades de longo prazo daquele negócio.

Resumindo, podemos dizer que o planejamento contempla o “antes”, enquanto a gestão está relacionada ao “durante”.

Como a tecnologia se relaciona com a gestão?

Embora essa relação não seja necessariamente obrigatória, ela é altamente recomendável. Afinal, é quase impossível ter uma gestão realmente eficiente por meio de processos manuais.

Um bom exemplo é o ERP (Enterprise Resource Planning), que pode ser traduzido como sistema de gestão empresarial. Este é um tipo de software que, como o nome indica, permite uma gestão integrada de todas as áreas da empresa.

Ao centralizar todas as informações em uma única plataforma, as chances de ter alguma perda de informação ficam muito menores, além do fato de tudo poder ser acessado de qualquer lugar, o que acontece quando os sistemas e bancos de dados ficam hospedados na nuvem.

O sucesso dessa solução tecnológica é comprovado. De acordo com a Allied Market Research, o mercado global de ERP foi avaliado em US$ 39,34 bilhões em 2019 e projeta-se que este valor atinja US$ 86,303 bilhões em 2027, com uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 9,8% entre 2020 e 2027.

Este é um dos principais exemplos da aplicação da tecnologia na gestão empresarial, uma relação que já é quase indissociável e deve se tornar cada vez mais inseparável com o passar do tempo, já que o desenvolvimento tecnológico só tem crescido – o que é ótimo.

Quais são os tipos de gestão?

Gestão é um conceito mais geral, mas que pode ser dividido em diferentes tipos, todos dentro do mesmo “guarda-chuva”, mas com abordagens específicas.

Os principais tipos de gestão são:

Gestão de inovação

A inovação nunca esteve tão presente no meio corporativo quanto hoje. O termo aparece em todos os lugares, dos noticiários às redes sociais, e do ponto de vista econômico, o conceito está relacionado a algo novo que traz benefícios para uma organização ou sociedade.

A gestão de inovação, portanto, é a promoção sistemática de inovações nas empresas, o que inclui tarefas de planejamento, organização, gestão e controle, lidando com todas as medidas para promover o novo dentro daquela organização, como o seguinte:

  • Produtos e serviços melhores, para se destacar em relação à concorrência;
  • Novos produtos e serviços, para conquistar mercados diferentes;
  • Melhoria de processos internos para fortalecer a empresa internamente ou cortar custos;
  • Desenvolvimento de novos modelos de negócios para explorar novas fontes de renda.

Gestão de logística

A gestão de logística é a etapa da cadeia de suprimentos que planeja, implementa e controla o fluxo e o armazenamento eficiente e efetivo de bens, serviços e informações relacionadas, desde o ponto de origem até o ponto de consumo, de modo a atender as demandas dos clientes.

A finalidade da gestão de logística é focar no gerenciamento de operações diárias relacionadas ao produto final da organização. O principal objetivo é alocar a quantidade correta de recursos no tempo certo, além de garantir que eles cheguem ao destino em boas condições, entregando-os ao consumidor final.

Gestão de marketing

A gestão de marketing refere-se às estratégias, ferramentas e análises usadas na promoção de um negócio. As empresas usam técnicas de gestão de marketing para identificar oportunidades de crescimento e conectá-las aos mercados apropriados.

Tal gestão coordena os esforços em anúncios entre todas as plataformas para promover a imagem da marca e capturar quantos consumidores em potencial for possível.

A gestão de marketing também passa por refletir no impacto de campanhas de marketing e esforços passados para atingir ao público usando feedback dos clientes e tendências de negócios para ajustar o plano de marketing da organização.

Gestão de mudanças

Gestão de mudanças é a disciplina que guia a preparação, a equipagem e o suporte dos indivíduos para que estes possam adotar mudanças de maneira bem-sucedida, de modo a atingir assim o sucesso e os resultados desejados na organização.

Mesmo que cada mudança seja única e que cada indivíduo tenha suas peculiaridades, certas ações podem ser tomadas para influenciar as pessoas em suas transições individuais.

A gestão de mudanças traz uma abordagem estruturada para ajudar os indivíduos da organização a sair de seus estágios atuais e, assim, atingir os estados futuros.

Gestão de pessoas

Gestão de pessoas é o processo de treinar, motivar e direcionar os colaboradores para otimizar a produtividade no ambiente de trabalho e promover o crescimento profissional.

Líderes no ambiente profissional, como coordenadores, gestores e chefes de departamento, usam a gestão de pessoas para tentar prever o fluxo de trabalho e potencializar, diária e continuamente, o desempenho de toda a equipe.

Leia também: O que é Gestão Estratégica de pessoas? Conquiste alto desempenho!

Gestão de processos

A gestão de processos, também conhecida como BPM (Business Process Management), é uma disciplina que usa diversos métodos para descobrir, modelar, analisar, mensurar, melhorar e otimizar processos de negócios.

Um processo de negócios, por sua vez, coordena o comportamento de pessoas, sistemas, informações e afins para produzir resultados de negócios de acordo com uma estratégia previamente definida.

Os processos podem ser estruturados e repetíveis ou não-estruturados e variáveis. Além disso, embora não seja obrigatório, as tecnologias costumam ser usadas junto com a gestão de processos, como os ERPs, por exemplo.

Gestão de projetos

Gestão de projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas para projetar atividades de modo que elas atinjam os requisitos de cada projeto.

Uma gestão de projetos eficiente é caracterizada pelo desenvolvimento e refinamento contínuo de métodos e práticas, além de garantir que todas as ferramentas implantadas atendam as necessidades propostas de maneira simples e organizada.

Gestão de vendas

Gestão de vendas (ou gestão comercial) é o processo de planejar, implementar e controlar programas de vendas que atinjam as metas da organização, incluindo o recrutamento, o treinamento e a motivação da equipe de vendas.

Esta é uma função comercial muito importante, já que as vendas líquidas por meio da venda de produtos e serviços e o lucro resultante dessas transações impulsionam a maioria dos negócios comerciais.

Gestão empresarial

A gestão empresarial consiste em gerenciar as atividades administrativas de uma empresa. Basicamente, sintetiza as responsabilidades de todos os diferentes tipos de gestão.

A administração de um negócio inclui o desempenho ou a gestão de operações de negócios e de tomadas de decisão, além da organização eficiente de pessoas e outros recursos para direcionar as atividades rumo às metas e objetivos comuns dentro da organização.

Gestão financeira

A gestão financeira corresponde ao planejamento, organização, direcionamento e controle das atividades financeiras de uma empresa, como o uso de seus recursos para atingir os objetivos propostos.

Basicamente, ter uma boa gestão financeira passa por aplicar os princípios básicos de gestão aos recursos financeiros daquela organização.

Gestão libertária: a metodologia adotada pelo G4 Educação

Existe uma semelhança entre o Skype, o Google, a Wikipédia e, por que não, o G4 Educação: todas adotam a metodologia de gestão libertária.

O princípio da gestão libertária é de ser uma gestão descentralizada, com objetivos definidos claramente, todas as individualidades da empresa olhando para este mesmo objetivo e liberdade aos colaboradores para que eles definam os caminhos que querem percorrer.

Quando todos os vetores estão alinhados para o mesmo lado, isso colabora para que a empresa cresça. Além disso, ao cultivar o sentimento de dono em cada colaborador, o ownership os fará tomar decisões como se realmente fossem donos do negócio.

Isso reforça ainda mais a importância de contratar colaboradores que não apenas tenham as habilidades técnicas necessárias, mas que também estão alinhados com a cultura organizacional e, por isso, tomarão decisões ainda mais assertivas – algo que é feito com excelência no G4 Educação pelo time de Gente & Cultura.

Inclusive, quando falamos em sentimento de dono, o partnership é uma alternativa interessante para fomentar ainda mais essa ideia, além de ser um conceito que se relaciona muito bem com a gestão libertária.

Com colaboradores que não são microgerenciados e possuem liberdade para tomar suas decisões rumo ao objetivo proposto, a gestão libertária faz com que o gestor não mais tenha o papel de dar ordens de execução, mas sim o de fazer as perguntas certas, como reuniões one on one, demonstrando o melhor caminho a se seguir.

Gestão: pedra fundamental para toda empresa de sucesso

Uma empresa sem uma boa gestão tem poucas certezas, e uma delas é que se a situação não for corrigida, será questão de tempo até que os problemas apareçam.

O ideal é que as melhores práticas de gestão sejam aplicadas desde o início daquela organização. Porém, nada impede que companhias que já estão em atividade assumam o controle de seus negócios e, a partir de então, passem a ter o verdadeiro controle sobre ele.

Se você deseja entender o que é gestão na prática, aprendendo a usar as principais estratégias, ferramentas e frameworks de Gestão, Vendas e Growth criados pelas maiores empresas do mundo, conheça a Imersão e Mentoria Gestão 4.0, do G4 Educação, e leve seu negócio para o próximo nível.

CONHEÇA A IMERSÃO E MENTORIA