Gestão

Estratégia empresarial: 4 maneiras simples de otimizar seu planejamento estratégico

Estratégia empresarial - maneiras simples de otimizar seu planejamento estratégico

Estratégia empresarial não pode ser um livro de regras inegociáveis. É necessário adaptabilidade, velocidade e práticas preditivas e propositivas para otimizar cada etapa do seu planejamento estratégico.

Para uma sólida estratégia empresarial, é necessário muito planejamento estratégico. Processos sistêmicos, dentro de um contexto analisado, para achar os caminhos dos resultados.

Aqui não tem espaço para “achismos”. É mensurar o ambiente, metas e ações, para tomar decisões preditivas e propositivas, diante de acertos e gargalos. Como um GPS, que te traça uma rota confiável.

As noções de estratégia empresarial passam principalmente por:

  1. Cultura organizacional: o esforço coletivo, de engajamento e participação;
  2. Gestão estratégica de pessoas: um ambiente envolvente, que vá além da contrapartida financeira e estimule as pessoas desempenharem o esperado;
  3. Gestão financeira: entender os recursos e como aplicá-los;
  4. Gestão e otimização de processos: investir nas engrenagens que fazem o motor do seu negócio funcionar.

E engana-se quem pensa que esses pilares são um privilégio das grandes empresas ou de determinados segmentos – qualquer organização necessita deles para funcionar. São essas estratégias empresariais que garantem uma cartilha de qualidade e a possibilidade de escalar.

Prova disso vem de um estudo da Bain & Company, que mostra que planejar estrategicamente esteve entre as 10 ferramentas de gestão mais utilizadas pelas empresas nos anos de 2000, 2014 e 2017. 

Em 2000, foi a prática mais adotada por 76% das companhias; em 2014, caiu para a quarta posição, responsável por 44% da amostragem de pesquisa; já em 2017, ela volta para a primeira posição, entre 48% das empresas correspondidas. 

Esses números nos mostram que mesmo ao longo de quase duas décadas, o planejamento estratégico se manteve entre as principais ferramentas de gestão a nível global, com destaque para um índice de satisfação de 4,03 (em uma escala de 0 a 5) no ano de 2017, o que equivale a 80,6% de satisfação.

A perenidade da pesquisa é um fator de grande destaque, especialmente quando analisamos esse contexto de mundo que vivemos, tão volátil e exponencial. A eficiência da disciplina tem sua origem nas décadas de 1950 e 1960, ou seja, vem norteando as estratégias empresariais há mais de meio século.

Ainda de acordo com a Bain, os picos de adoção de planejamento e gestão estratégica por parte das empresas aconteceram principalmente em meados de 2005 e 2008. Porém, ainda que este uso já tenha sido maior, o índice de satisfação sempre esteve em torno de 80%, o que é excelente.

O uso já foi maior porque não adianta mais fazermos planos de negócio para os próximos 5 anos. Tudo muda muito rápido, em uma velocidade sem precedentes. Os planos de negócio são para o próximo semestre – ou trimestre, bimestre… A palavra de ordem é “adaptação”.

Ações rápidas, preditivas e propositivas podem melhorar todo o seu fluxo. Mas lembre-se: montar um planejamento estratégico passa por gerir pessoas, finanças e sua cultura. É sobre todo o sistema nervoso de uma empresa.

Vejamos como nortear seu caminho com noções de estratégias empresariais, sem abrir mão das maneiras mais simples de otimizar seus processos e operações, totalmente alinhadas com o contexto de mercado que vivemos.

4 dicas práticas para otimizar sua estratégia empresarial

Um planejamento estratégico empresarial é a bússola para um negócio atingir seus objetivos, mas ele não pode mais ser um livro de regras inegociáveis. Tempos exponenciais pedem por ações que acompanhem a velocidade requerida.

Para isso, uma empresa precisa constantemente otimizar os processos que norteiam sua estratégia, de modo que consiga sempre se manter no páreo competitivo. O mercado, a concorrência e seus clientes não esperam mais que você se ajuste. 

É necessária muita proatividade e mão na massa para não ficar correndo atrás de práticas que já não cabem mais às tendências do seu segmento e daqueles que te impactam indiretamente com uma funcionalidade ou estratégia específica.

Separamos então 4 práticas que te ajudarão a otimizar sua estratégia empresarial. Confira:

1 – Planejamento estratégico anual não cabe mais ao contexto de mundo

Como foi dito, o mercado, a concorrência e seus clientes não esperam mais que você se ajuste ao contexto que o mundo exige.

Vamos tangibilizar com um exemplo. Uma rede de padarias montou todo seu planejamento estratégico empresarial para o ano de 2020. Essa rede sempre trabalhou diretamente com pontos de atendimento físicos, em praças locais, as quais recebiam fluxos de clientes recorrentes de cada região que atendiam.

Ao elaborar as estratégias empresariais para o ciclo inteiro daquele ano, essa rede de padarias hipotéticas levou em conta todos os erros e acertos que a levou até ali. Nenhum mistério até esse ponto.

O que os donos dessas padarias não contavam em seu planejamento estratégico empresarial é que em 2020 o mundo seria assolado pela pandemia do coronavírus. Que com o longo isolamento social adotado na cidade onde atuam, suas portas fechariam por tempo indeterminado. 

Com uma variável como essa e um planejamento cuja base é um livro de regras inegociáveis, o destino dessa rede de padarias poderia ser desastroso. Primeiro, porque seus pontos físicos não iriam render mais como o planejado, segundo que eles não receberiam o mesmo volume de clientes como de costume.

Mas seus responsáveis estavam atentos e abriram canais digitais para atenderem à domicílio. Se reuniram aos primeiros sinais da crise e construíram do zero um novo planejamento estratégico para os meses seguintes.

O ponto é: nesse exemplo, mesmo que as circunstâncias tenham sido geradas por aspectos sanitários, uma quebra de paradigmas pode vir da concorrência e do mercado a qualquer momento. E você precisaria se adaptar. Com um manual imutável, você fica fora do páreo competitivo.

Você perde a capacidade de otimizar e, consequentemente, aprimorar em conformidade com o que o contexto de mundo exige.

2 – Para desenhar seus objetivos, a análise SWOT é uma boa metodologia

A análise SWOT, sigla em inglês para Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças), avalia, dentre diversas oportunidades, as minúcias da estrutura organizacional de um negócio.

Imagem ilustrativa do framework da análise SWOT. (Crédito: G4 Educação)

Vamos ao exemplo. Você tem um e-commerce e quer entender a percepção do cliente sobre sua marca.

As forças se referem às ações da sua empresa que estão desempenhando bem, se comparadas a outras práticas internas ou a uma vantagem competitiva externa. 

Logo, no caso do e-commerce, uma força analisada em seu planejamento estratégico perante à concorrência, é que sua pontuação no NPS (Net Promoter Score) é de 80. O atendimento ao cliente é impecável e todos aqueles que avaliam a marca se sentem satisfeitos com o serviço oferecido.

Na outra ponta, as fraquezas se referem às iniciativas da sua empresa que estão desempenhando abaixo do esperado, também se comparadas a outras práticas internas ou daquelas advindas da concorrência.

Voltando ao exemplo, esse e-commerce hipotético está crescendo com foco na experiência do cliente, mas não anda investindo muito na consolidação de sua marca. Mesmo que o NPS esteja alto, ainda há uma lacuna sobre como as pessoas confiam na sua plataforma.

Não adianta: você pode ter poucos clientes que te avaliam lá em cima, mas se a grande massa não tem a percepção real da sua credibilidade, tem uma fraqueza para ser aprimorada. A Amazon é inquestionável, agora se você vê um novo player no mercado… Gera dúvidas, até não restarem mais – se as fraquezas forem trabalhadas, claro.

Logo, as oportunidades são o resultado das suas forças e fraquezas existentes somadas a quaisquer iniciativas que colocarão a sua empresa em uma melhor posição competitiva. 

O e-commerce tem um atendimento ao cliente e um NPS forte, mas ainda não entrega uma credibilidade de marca incontestável. Veja a oportunidade: investir em marketing e branding para se tornar tão conhecido quanto a Amazon.

Por fim, as ameaças são externas e costumam estar fora do seu controle. Podem ser qualquer coisa, como uma mudança no cenário competitivo. Você analisou suas forças, suas fraquezas e oportunidades, mas independente delas, abriu um concorrente direto, que está puxando grande parte de sua base.

A análise SWOT é uma ferramenta poderosa para identificar oportunidades para gestão estratégica. Ela pode ser aplicada dentro de um cenário macro, ou para um projeto específico.

3 – O Golden Circle, de Simon Sinek, te ajuda a encontrar um propósito e como propaga-lo ao mundo

O Golden Circle, ou Círculo Dourado, é uma metodologia desenvolvida por Simon Sinek, que ajuda empresas a encontrarem seu propósito, através de três perguntas: Por que? Como? O quê? 

Golden Circle (Crédito: Dan Kicks)

Basicamente, são três camadas, em um círculo, como se fosse um alvo de dardos: 

  • Na camada do círculo central, está a pergunta “por quê”; 
  • Na camada do círculo intermediário, está a pergunta “como”; 
  • Na camada do círculo externo, está a pergunta “o quê”. 

A ideia da metodologia é que as empresas devem pensar e agir partindo de centro do círculo, em direção às suas extremidades. A primeira etapa é saber “por que” desejam criar um produto ou serviço; depois, como vão fazer isso; e, por fim, o que vão criar a partir do porquê estabelecido. 

O ideal é que ao criar um planejamento estratégico empresarial, é necessário primeiro, alinhar um propósito com as decisões que o nortearão no futuro.

É nisso que o conceito foca: começar com um propósito claro, definir porquê seu negócio existe, e através dessa perspectiva, desenhar estratégias de como entregar essa proposta de valor nos serviços ou produtos oferecidos. 

Um dos exemplos mais famosos que ilustram a aplicação do modelo é a Apple. Começando pelo porquê, a empresa define sua proposta de valor baseado em um propósito único e inspirador, que potencializa os benefícios e funcionalidades do produto:

“Tudo que fazemos, acreditamos em desafiar o status quo. Em pensar diferente (porquê). Desafiamos o status quo fazendo… Produtos com um lindo design e fáceis de usar (como)…Fazemos ótimos computadores (o que).”

Apple

Você entende a essência e o valor agregado dos produtos Apple, para além de suas funcionalidades, que podem ser replicadas por qualquer um. Essência não. O conceito é muito utilizado como bússola da estratégia empreendedora, nativa das empresas de tecnologia.

4 – Com suas premissas bem estabelecidas, padronize, otimize e integre seus processos

Até agora, partimos dos pressupostos de que o mercado e o mundo estão avançando em uma velocidade sem precedentes e que existem algumas metodologias, tais quais a SWOT e o Golden Circle, que podem ajudar a otimizar sua estratégia empresarial, para que você se mantenha no páreo competitivo.

Um planejamento estratégico anual não funciona mais em conformidade com o contexto em que estamos inseridos. Você precisa analisar e mensurar constantemente quais são suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Mais do que isso: alinhar um propósito com as decisões que o nortearão no futuro.

Todas essas premissas estão inseridas dentro de processos. Processos são a engrenagem que fazem o motor da sua empresa rodar. Eles tendem a ser criados e desenvolvidos para, posteriormente, serem padronizados e otimizados sempre que possível.

Você padroniza para que o processo possa ser replicado. Você otimiza quando enxerga seus gargalos e busca melhorias. É só com essa engrenagem funcionando devidamente, que você consegue escalar o negócio e atingir seus objetivos.

Está todo mundo caminhando para a mesma direção. Para além de padronizar e otimizar processos, você precisa integrá-los para fazer todo mundo falar a mesma língua. 

É dessa forma que você otimiza seu planejamento estratégico, usa de todas as premissas supracitadas, e se torna mais ágil para tomar ações preditivas e propositivas. Você conduz a direção. 



Qual a importância de otimizar minha estratégia empresarial?

Otimizar a estratégia empresarial está diretamente relacionado à conformidade competitiva, aumento de engajamento e entrega de resultados. Crescer não significa megalomania e abraçar o mundo todo de uma vez só.

Crescer também significa recalcular rota, reduzir custos, entender qual o seu nível de qualidade de serviço, o quão enxuta é sua estrutura, a saúde financeira do seu negócio. Todos esses fatores precisam ser levados em conta na hora de montar um planejamento real e que pode sofrer alterações durante o percurso.

Às vezes você dá alguns passos para trás, para crescer ainda mais a longo prazo. De uma estratégia empresarial, podem surgir outras. Você pode analisar o macro, para tomar ações no micro. O importante é não andar pelos “achismos” – é ter sempre o GPS ligado.

A ideia não é ficar apagando incêndios. É criar um plano de ação para que eles não aconteçam. Só com uma noção completa dos seus processos que você é capaz de intervir no momento certo e implementar melhorias.

Para te ajudar a caminhar por terra firme, lançamos a formação G4 Planejamento Estratégico, cujo objetivo é elucidar todos esses conceitos e premissas. 

Ministrado por Julian Tonioli, sócio-fundador da Auddas – uma consultoria focada justamente em Planejamento Estratégico e Gestão -, trata-se de um programa validado por quem desbravou o mercado e hoje possui a chancela entre os empreendedores de “mentor dos mentores”.

Glossário do Empreendedor

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W Y X Z