Artigos, Conteúdos em Destaque

Carro da Apple: 8 anos depois, Project Titan ainda enfrenta dificuldades


carros passando em frente a um prédio da apple

O projeto de carro da Apple é rodeado de mistérios desde o começo. Além de informações muito escassas, a última reportagem a respeito do então Project Titan, não foi das mais animadoras.

Quatro assentos reclináveis, duas fileiras uma de frente para a outra, com telas grandes atrás dos assentos que somem automaticamente quando não estão em uso. O teto abobadado remete ao fusca. Sem volante ou pedais, existe ainda a possibilidade de haver um espaço de carga com acesso facilitado, em uma sistema “sobe e desce”.

Essas são informações sobre o suposto design do veículo, presentes em uma extensa reportagem do The Information, que contempla alguns detalhes sobre o desenvolvimento do carro da Apple, que acontece há 8 anos. Apesar das especulações do design “futurista”, ninguém jamais viu o carro, embora a Bloomberg tenha apontado para um estilo parecido com o Lifestyle Vehicle da Canoo:

imagem ilustrativa de um carro elétrico da Canoo, chamado Modelo Lifestyle Vehicle
(Na imagem: Modelo de carro elétrico “Lifestyle Vehicle” da Canoo)
(Créditos: Divulgação)

Contudo, o máximo que se sabe é que os testes são feitos em modelos SUVs Lexus modificados, desde 2017. Mesmo que muitas histórias tenham surgido ao longo dos anos, a matéria foi ao ar em 11 de julho de 2022, e apresenta perspectivas mais concretas sobre os desafios da construção de um carro cujo objetivo é ambicioso:  a direção autônoma em praticamente qualquer ambiente. 

Com diversas informações internas, a publicação vai além do rumor, trazendo relatos de 20 pessoas que trabalharam diretamente no Titan, apresentando uma ideia consistente de como o plano vem progredindo ao longo desses anos.

Breves highlights do projeto

Fontes indicam que mais de 200 especialistas começaram a trabalhar no “projeto secreto” em 2014, que a princípio seria um carro elétrico padrão. Contudo, os planos mudaram para o desenvolvimento de um veículo que não necessita de nenhuma intervenção do motorista, sendo assim, totalmente autônomo, um avanço considerável em relação a outros concorrentes como a Tesla. 

Ainda em 2017, o CEO, Tim Cook, falou brevemente sobre o projeto, um momento raro, já que a empresa não costuma falar sobre o que está em desenvolvimento:

“Estamos focando em sistemas autônomos. É uma tecnologia central que consideramos muito importante. Nós a vemos como a mãe de todos os projetos de IA. É provavelmente um dos projetos de IA mais difíceis de se trabalhar.”

Tim Cook, CEO da Apple
tim cool, ceo da apple palestrando em um evento da empresa
(Na imagem: Tim Cook, CEO da Apple) (Créditos: Divulgação)

Para endossar o projeto, a Apple desenvolveu um chip de alta potência, considerado o componente mais avançado da empresa até hoje: baseado em processadores neurais, capazes de lidar com a carga de Inteligência Artificial que é demandada para veículos assim.

“A esperança é desenvolver um veículo que possa poupar os clientes da fadiga ao dirigir em viagens longas. Mas construir um carro de verdade, para um outsider da indústria automobilística como a Apple, exigirá parcerias.”

Bloomberg

Ao que tudo indica, a empresa também está construindo um novo design de bateria, com objetivo de reduzir seus custos e aumentar o alcance dos carros. Isso se dá a partir de um design “monocélula”, considerado o próximo nível quando se fala em baterias: “semelhante a primeira vez que você viu um iPhone”, mencionou um ex-colaborador do projeto.

Os maiores desafios do Project Titan

Até agora, tudo parece conspirar a favor do apple car, contudo, apesar das ideias inovadoras, desafios de gestão, conflitos constantes e até descrença por parte da liderança executiva, mostram-se fundamentais para o processo conturbado, dificultando que o carro saia do papel.

Liderança executiva cética

Em qualquer projeto, seja grande ou pequeno, o apoio da liderança executiva é sem dúvidas, um propulsor relevante e ao que tudo indica, é um ponto sensível no desenvolvimento do Titan.

Segundo a matéria, Craig Federighi, chefe de software da Apple e executivo-chave da empresa, e o CEO, Tim Cook, mantêm uma distância significativa do projeto, e são considerados pelos ex-colaboradores como “céticos”, visitando a operação raramente e visivelmente nada empolgados com plano.

Conflitos internos constantes

Como mencionado anteriormente, o carro adotaria um modelo padrão de carro elétrico, até que os planos mudaram completamente. Essa situação vem acontecendo sistematicamente ao longo de muitas decisões-chave e desencadeando conflitos internos.

As definições inconsistentes impactaram todo o processo, desde quais tecnologias desenvolver e utilizar, até o design tanto interno quanto externo. Telas de realidade aumentada e sensores também foram amplamente testados. Em suma, todas as mudanças e percepções diferentes geraram atrasos de maneira contínua.

Falta de objetivos claros

Ao longo do percurso, os executivos discordavam até mesmo em pontos fundamentais para o projeto, entre eles, se o carro deveria ser autônomo ou semi autônomo, por exemplo. Sendo assim, desde o começo, a falta de direcionamento e visão sobre o resultado final do apple car, levaram a momentos de estagnação.

Essa situação de incerteza e redefinição, não só desmobilizou a equipe, como fez com que fosse supostamente “ridicularizado” em outros setores da empresa, segundo a publicação do The Information.

Alta rotatividade da equipe e lideranças

Muitas pessoas passaram pelo projeto ao longo de 8 anos, inclusive lideranças. As diferentes visões sobre o carro, principalmente de quem possui um papel central, é uma consequência direta para andamento da processo.

Muitos executivo desistiram de guiar o Titan, e a perda mais recente foi Doug Field, que foi nomeado chefe de tecnologia na Ford. Anteriormente, o diretor de machine learning, Ian Goodfellow também saiu. Atualmente, o projeto está sendo orientado por Kevin Lynch, responsável pela criação do sistema Apple Watch. 

Além disso, em 2019, a Apple comprou a startup Drive.ai, que projetou um serviço de transporte autônomo e contratou muitos de seus funcionários de engenharia e design de produto para trabalharem no projeto.

Leia também: M&A – como funcionam as fusões e aquisições de empresas?

Problemas de desenvolvimento do software

Apesar da equipe estar especialmente direcionada para seu mais pleno desenvolvimento, o software está apresentando diversos problemas, entre eles o chamado “demoware”. Essa situação consiste em um problema muito comum em carros autônomos: o veículo desempenha como o esperado em rotas pré-determinadas, mas assim que muda para um percurso desconhecido, o motorista precisa assumir.

Em um dos testes no começo deste ano, o carro não parou para permitir que o pedestre atravessasse a rua, apenas reajustando o caminho ligeiramente, fazendo com que o motorista tivesse que frear. Essa é uma das informações mais problemáticas até então, porque indica que o software não conseguiu determinar se era um objeto parado ou em movimento.

A empresa concluiu que o veículo provavelmente teria atingido o pedestre sem a intervenção humana, e os testes foram suspensos até que essa falha fosse arrumada e a faixa de pedestres adicionada ao banco de dados. 

Embora seja um desafio comum na indústria, o objetivo da empresa é que o carro alcance autonomia completa, e isso significa que ele deve funcionar de modo que não dependa de mapas perfeitos

O que podemos aprender com o desenvolvimento do “Apple Car”?

A Apple é uma empresa consolidada, e que possui um legado relevante através dos produtos que desenvolveu. Contudo, o Project Titan nos ensina algumas lições valiosas para qualquer negócio, inclusive, a importância de uma boa gestão, independente da maturidade do negócio.

Invista em uma boa liderança, focando em gestão de pessoas

Uma liderança inconsistente afeta não só os colaboradores como também, os projetos em andamento, e no caso do Project Titan, a troca contínua de líderes ocasionou uma situação de incerteza, múltiplos propósitos (inacabados), além de não promover direcionamento claro.

Não importa o tipo de liderança que você exerça, um bom líder ajuda os liderados a quebrarem barreiras, construindo um ambiente favorável para o desenvolvimento de soluções viáveis e colaborativas. Desse modo, o sucesso não está focado em ter todas as respostas, mas em fazer as perguntas certas e cativar o restante da equipe para que sejam capazes de contribuir com suas experiências pessoais.  

Além disso, ter capacidade de execução, é uma das 15 lições de liderança mais importantes para qualquer líder. Sonhar com um produto e não ser capaz de produzi-lo é um erro que pode ser fatal, ou no mínimo, tende a estender o projeto até que fique insustentável dentro da companhia. Afinal, a iniciativa é importante mas a execução é ainda mais fundamental para atingir uma boa performance.

Desenvolva um planejamento estratégico 

Com as diversas mudanças, foi ainda mais difícil manter o time alinhado, tanto com o projeto quanto uns com os outros. Nesse sentido, desenvolver um planejamento estratégico é essencial. Antes de iniciar qualquer ideia (ainda mais voltada à inovação), o ideal é ter clareza do objetivo, pois somente a partir de um norte bem definido, é que construímos o passo a passo para obter os resultados desejados.

Planejar nada mais é do que tentar traduzir onde queremos chegar, definindo um conceito, alavancas básicas para execução, objetivos alcançáveis e portanto entregáveis, iniciativas estratégicas e ações necessárias para implementação. Ou seja, constitui-se em sua essência, como um conjunto coordenado de ações e atividades, e um modelo de acompanhamento.

Invista em estratégias de retenção de talentos

O processo de recrutamento e seleção é essencial para o sucesso de uma empresa ou projeto, contudo, é preciso investir em táticas capazes de reter esses talentos. Para isso, uma gestão estratégica de pessoas é fundamental.

“Você não constrói uma empresa. Você constrói um time, e o time constrói a empresa”

Zig Ziglar, autor, palestrante e vendedor

Um problema latente no caso da Apple, além da falta de direcionamento, é que em dado momento, grande parte dos envolvidos deixaram de acreditar no projeto, desvalorizando-o constantemente. Além disso, a diretoria executiva cada vez mais desengajada, acabou por validar esse comportamento. Afinal, apesar de qualquer palavra, a equipe tende a seguir exemplos.

Neste sentido, investir em uma comunicação eficaz, reconhecer resultados e implementar uma cultura de feedbacks estimula um ambiente de confiança, e é a base para diminuir o turnover de funcionários. Investir em capital humano é o melhor investimento de uma organização a longo prazo.

Apesar dos desafios, fomente uma cultura de inovação

Geralmente, inovar significa correr riscos e até negócios que nasceram com essa mentalidade, passam por desafios. A Apple é uma das empresas mais inovadoras do mundo, e deixou um legado consistente para muitas gerações, mas o Titan é a prova viva de que nem uma das culturas organizacionais mais disruptivas, estão isentas de obstáculos.

Inovar é difícil, mas necessário. A inovação é capaz de garantir a evolução de um negócio, ajudando a identificar e antecipar comportamentos, dores e necessidades que influenciam sua sobrevivência, e conhecê-las é fundamental. 

steve jobs, fundador da apple, apresentando o iphone
(Na imagem: Steve Jobs, Fundador da Apple, apresentando o primeiro iPhone em 2007)
(Créditos: Apple/Divulgação)

“Aproxime-se dos seus clientes mais do que nunca. Tão próximo que possa dizer a eles o que precisam antes deles mesmos perceberem.”

Steve Jobs, fundador da Apple

Conclusões finais: nem uma das empresas mais inovadoras e consolidadas do mundo, resiste a uma má gestão

Entre desavenças, ceticismo e falhas preocupantes ao longo dos testes, o “apple car” está previsto para ser lançado em 2025, e a empresa está considerando soluções para disfarçar o protótipo e começar a realizar testes em público. 

Além dos insights ao longo do artigo, o desenvolvimento do Project Titan demonstra o caminho percorrido pela gigante de tecnologia pela excelência, cuidando excepcionalmente de sua marca já consolidada, e principalmente, seu legado, mesmo que isso signifique uma saga de 8 anos em um único produto.

Embora buscar os mais altos padrões deva ser o propósito de todo negócio, à medida que temos objetivos ambiciosos, precisamos gerenciá-los ainda mais de perto, alinhando a equipe constantemente, de modo que todos trabalhem orientados por um caminho coerente, embasados em dados e com uma liderança assertiva, capaz de gerenciar estrategicamente. 

Mesmo que o sonho seja ambicioso, é preciso se perguntar: é factível? E se não for, por inúmeras razões (no caso da Apple, é a tecnologia), há recursos suficientes para que seja? Independente da resposta, o maior recurso para um projeto se tornar tangível, são as pessoas. Afinal, sem as perguntas certas, não há como encontrar respostas.

Apesar dos desafios do veículo autônomo, a Apple já está caminhando para estar em todos os carros com o CarPlay. O programa facilita a conexão entre o sistema iOS nas centrais multimídia dos carros, e segundo a Apple, a próxima versão será executada em cada tela presente nos veículos, não só as destinadas a infoentretenimento. 

anúncio do carplay, programa da apple que conecta o iOS a central multimídia dos carros
(Na imagem: Anúncio do CarPlay)
(Créditos: Apple)

Muitos negócios estão se mobilizando, sentindo-se pressionados a pensar sobre inovação, ainda mais aqueles que seguem modelos tradicionais. Embora não exista um caminho ideal, começar a pensar na inovação de produtos pode ser um dos caminhos para que seu negócio mantenha-se competitivo. 

A Apple é uma empresa de tecnologia consolidada e mesmo que pareça distante da realidade do seu negócio, estamos caminhando para a chamada “low touch economy”, onde todas as organizações precisam ser mais digitais, ágeis e asset light do que nunca.

Nessa nova realidade, a máxima “inove ou morra” passa a ser aplicada a todos os setores. Se você deseja saber como explorar novos canais, práticas, frameworks e ferramentas de gestão  conheça a Gestão 4.0 Imersão e Mentoria do G4 Educação e torne o seu negócio ainda mais relevante.

New call-to-action

Glossário do Empreendedor

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W Y X Z
Banner G4 for Business 01